Angela Natel On sexta-feira, 14 de abril de 2017 At 08:57
Há dois mil anos, o poder religioso entregava Cristo ao poder político para ele ser crucificado.
Movidos por inveja, pastores e teólogos o tornaram prisioneiro político. Usaram as redes sociais, congressos, pregações, para manipular a opinião pública, levando-a a preferir a soltura de Barrabás à libertação de Cristo.
Religião é um perigo. Nunca a perversidade é mais acintosa, fanática, desinibida, determinada, do que quando praticada em nome da divindade.
Como evitar que a igreja o transforme num respeitável, desumano e insuportável fariseu, capaz de matar Cristo?
1. Jamais acredite que você e seus amigos são detentores do monopólio da verdade. Vocês podem estar vivendo a experiência de um alimentar a loucura do outro. Há evidência de que vocês representam hoje o estágio mais avançado do desenvolvimento intelectual do cristianismo? Qual o impacto da sua práxis e produção teológica na cultura e política nacionais?
2. Ouça os diferentes. Abra espaço para conhecer o pensamento daqueles que fazem contraponto às suas ideias. Na Bíblia, até o Diabo é encontrado dizendo a verdade.
3. Não confunda a Bíblia com a sua interpretação da Bíblia. Não se deixe cooptar ideologicamente por quem quer que seja. Isso pode levá-lo a botar na boca de Deus o que Deus jamais falou.
4. Quem mora com você o tem como doce, amável, leal? Sua vida é coerente? Ao voltar para casa após um dia de trabalho, seus filhos e cônjuge o recebem com alegria?
5. Sua teologia o tem levado à compaixão pelo pobre, enfermo, enlutado e sem Cristo? Religião pode transformar homens em andróides. Cuidado quando sua teologia torna seus olhamos secos e seus joelhos impossíveis de ser dobrados. Lembre-se que você pode ser ortodoxo e morto. Crer como os demônios creem.
Que nesta Páscoa nos lembremos do Cristo cuja vida tornou-se insuportável para a religião e que por nós morreu para nos salvar desse mundo cuja treva se faz presente dentro do templo.
Antônio Carlos Costa

fonte: https://www.facebook.com/profile.php?id=100009805770419&hc_ref=NEWSFEED&fref=nf

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.