Angela Natel On sábado, 4 de abril de 2015 At 08:46


Nome: Hezequiah Okon Ekipma, 7 anos.

Acusação: fazia adoecer outras crianças, por bruxaria.

Punição: seu pai o deixou sem comer até extrair uma confissão e depois foi levado à floresta por seu irmão mais velho para ser decapitado.

Redenção: escapou e foi direcionado para o orfanato.

Em muitos países africanos, acusações de bruxaria são exploradas por igrejas carismáticas ou pentecostais. A perseguição às bruxas tem se tornado um "negócio" lucrativo para muitos pastores-profetas. As ações dos pastores-profetas complementam aquelas dos curandeiros tradicionais. (Os village doctors).

Fonte: UNICEF 2010

Imagem do Diário Fotográfico "Missão Salvar Crianças-Bruxas". Caminho Nações. (Edição esgotada)

#juntospodemosmais
#FabricandoEsperanças

http://www.caminhonacoes.com/


http://doeagora.caminhonacoes.com/


http://www.lojadocaminho.com/

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.