Angela Natel On quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015 At 09:50

"Eu nunca vou se curvar a seus ídolos
Eu sei quem eu sou
Você vai ter que me colocar no chão
Para me calar
Esta é a minha posição final
Você não pode me matar, eu já estou morto
Este é o grito do mártir
Assim, enquanto a multidão exige minha cabeça
O meu tempo chegou para morrer
A morte é apenas o começo de tudo o que eu estou vivendo
Esta é a minha posição final
Colocada sobre o altar
Esta é a minha posição final
Colocada sobre o altar
Esta é a minha posição final
Levante-se, minhas convicções não estão à venda
E eu sei quem eu sou
Eles não podem negar a verdade dentro de mim
Então, eu vou sofrer em suas mãos
Arrastado pelas ruas como um criminoso
Minha minha própria carne e sangue culpado por associação
Não é o inferno para pagar por este filho apóstata
Matá-lo!
O grito hipócrita
Ele serve um novo rei
Matá-lo!
Seus olhos cegos não podem ver
Eu sirvo o verdadeiro rei
Agora, as rochas começam a voar
E a minha boca se enche de sangue
Eu posso ouvir minha mãe chorando, mas uma só voz não é suficiente
Eu estava enfrentando a ira cheia de inferno
Fraco, uma vez que é
Eu estava de frente para uma boa morte, bem, isso é glorioso
Cara a cara com o túmulo que eu esperava
E agora, meus assassinos estavam frente a frente com uma fé que eles não podem ignorar
Esta é a minha posição final
Eu nunca vou se curvar a seus ídolos
Eu sei quem eu sou
Você vai ter que me colocar no chão
Para me calar
Esta é a minha posição final
Você não pode me matar, eu já estou morto
Este é o grito do mártir
Assim, enquanto a multidão exige minha cabeça
O meu tempo chegou para morrer"

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.