Angela Natel On quinta-feira, 20 de novembro de 2014 At 06:24

Minhas decepções e casos sem solução derramo aqui.

Iludi-me sem a ajuda de ninguém.
Assumo que carreguei por anos o mal do falso ensino de que deveria viver às custas dos outros para servir, sem me preocupar com o verdadeiro preço de ser discípulo de Cristo.

Achava que poderia interpretar a Bíblia de acordo com meu limitado conhecimento, mesmo sem entendimento do contexto e das implicações de cada passagem.
Pensei e ensinei por anos mentiras e desilusões em meio a algumas verdades, que não deixaram de ter valor devido à minha irresponsabilidade.

E, ao refletir sobre esses erros e enganos, tanto de minha parte quanto naquilo que ensinei e - pesarosamente confesso - reproduzi de errado na vida de muitas pessoas, tentei ir a outro extremo, e trabalhar vivendo de meu próprio esforço e mérito.

Descobri as injustiças de trabalhar sem receber, ser enganada, ludibriada, repetidamente esquecida e me vendo esforçando-me sem retorno.
Deixei muitos queridos na mão devido a não sei o quê, deixei-os sem explicação.

Busquei tratamento, ajuda, estudo, trabalho. Busquei uma vida 'normal' para não mais viver às custas dos outros. Mas descobri a existência de 'outros' que exigem um certo compromisso para comigo mas não suportam serem exigidos de mim.
'Queimo meu filme', ao tentar exigir direitos que, por caminhos bem delineados, me são negados.

Não sei mais o que é viver pela fé, a não ser que está bem longe de ter algum tipo de relação com a meritocracia.

Por isso este desabafo. Porque não suporto viver sob as máscaras de um sorriso maquiado dissimulando uma harmonia que desconheço. Porque não consigo evitar as náuseas ao observar aqueles que conviviam comigo repetindo os mesmos erros, ensinando os mesmos enganos que aprenderam de mim. Enganos estes tanto em relação à suposta 'vida pela fé' quanto à própria interpretação herética de inúmeros textos bíblicos para justificar dogmas humanos infiltrados na mensagem cristã.

Me perdoem, não era prá ser assim.

E não há muito o que fazer a respeito, já que por inteira dependo da graça e da misericórdia de Deus. Da mesma forma peço misericórdia, confesso meus enganos e comprometo-me a continuar tentando, e restituindo a todos que, de alguma forma, prejudiquei.

Angela Natel

nov/2014

Estes textos e muitos outros estudos estão à disposição na páginahttp://angelanatel.wordpress.com/ ou nos blogs
http://lioness-tocadaleoa.blogspot.com/
http://guardiadaverdade.blogspot.com.br/

ou no meu baile de máscaras particular:
http://angelanatel.tumblr.com/

@AngelNN #weareallbitches #unapologeticbitch #SorryNotSorry

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.