Angela Natel On domingo, 26 de janeiro de 2014 At 07:35
Chegamos nessa grande igreja africana (Sabe onde fazem correntes que trocam grana por oração?). O pastor não estava. Pedimos para abrir a porta. O co-pastor negou. Mandamos abrir a porta (pra valer!) e o co-pastor abriu. Entramos e acorrentado à escadaria do templo achamos o jovem que "jesus" bruxificou. Ele está amarrado para ser liberto. Sua libertação não acaba nunca. São meses de permanência no canto sagrado até mudar de "status" espiritual. Aqui também é assim! Esse caso literal bem ilustra o Brasil-cristão de hoje (e sem papo que "isso é da cultura afro", senão digo nome e sobrenome dessa igreja-cativeiro!): Os acorrentados ficam presos a sucessivas correntes, as novenas se renovam no calendário, se aglomeram na agenda religiosa, e aderem o povo aos pilares da igreja! Esse é um Pilar da "igreja": Amarrar as pessoas para as libertar! Libertam sei-lá-do-que para as amarrar ao lugar! "Onde???" Ah! Cínicos que fingem acreditar que o neopentecostalismo é "religião" de gente decente!!! O neopentecostalismo é o reflexo gospel da grande Barganha brasileira que cativa desesperados! E se você é mesmo de Deus, não finja que não está sabendo que esse teatro serve pra manter o Medo que faz os supersticiosos consumirem tranqueiras espirituais no Shopping de Deus! Cuidado! Esse deus e seus corretores não vão te dar descanso ou espaço, você vai ficar contido e confinado dentro desses portões onde o Verdadeiro Pastor... não está! Eis o nosso jovem: Pai e mãe pagam pelo quadrado que ele circula até o limite das correntes , e diariamente trazem-lhe comida. Ali ele ora, canta, grita palavras de ordem... Vive nervoso. Ali ele defeca e urina... já nem se pertence, é só mente domesticada, ele é uma Legião religiosa! Ele é muita gente!
Ali ele está acorrentado.
Aqui também!




fonte: https://www.facebook.com/marcelomquintela

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.