Angela Natel On domingo, 5 de agosto de 2012 At 06:00



Um vídeo publicado por um jovem pastor norte-americano tem causado polêmica entre os líderes evangélicos. O pastor David Platt, líder de uma igreja batista em Birmingham, no Alabama, vem sofrendo duras críticas por afirmar no vídeo que a “oração de conversão”, comum em quase todas as igrejas protestantes, é supersticiosa e não tem respaldo bíblico.

De acordo com Platt, de 33 anos, repetir uma oração “aceitando Jesus” não torna a pessoa cristã. Ele diz ainda, durante a Conferência Verge, no Texas, que “não existe tal oração supersticiosa no Novo Testamento”.

- Não deveria nos preocupar sabermos que a Bíblia nunca usa as frases “aceite Jesus em seu coração” ou “convide Cristo em sua vida”? – questionou o pastor, Que disse ainda que acreditar nessa oração como verdadeira pode destruir milhões de almas.

- Estou convencido de que muitas pessoas em nossas igrejas estão simplesmente perdendo o sentido da vida cristã e que muito disso tem a ver com o que nós lhes vendemos como o Evangelho. Ou seja, esta oração, “aceite Jesus em seu coração, convide Cristo em sua vida” está construída sobre areia movediça e corre o risco de desiludir milhões de almas.

O vídeo foi publicado no início de abril, mas tem ainda rendido duras críticas a Platt. Muitos líderes evangélicos contestam suas afirmações, inclusive lideranças da Convenção Batista do Sul, a qual ele pertence. Segundo Platt, muitos afirmam que ele está tentando impor o calvinismo sobre os batistas.

- Meus comentários sobre a ‘oração do pecador’ foram motivados por uma grande preocupação com a conversão autêntica e a regeneração dos membros da igreja – se defende o pastor, de acordo com o GPrime.

Apesar das diversas críticas, o presidente do Seminário Teológico Batista do Sul dos Estados Unidos, Danny Akin, defendeu a posição de David Platt. Ele disse que apesar de não ser contra a prática de tal oração, compartilha com jovem pastor as apresentações simplórias do evangelho e falsas conversões.

- Eu quero que todos saibam que fiz todos os meus filhos repetirem a ‘oração do pecador’ como uma forma de expressar a obra que Deus fez em seus corações e de como eles se arrependeram de seus pecados e passaram a confiar em Cristo como seu salvador – reiterou Akin, que diz que a oração não é a única coisa necessária para a salvação, mas que ele pode funcionar como uma marca do começo de uma vida cristã.

Assista ao vídeo que de David Platt (em inglês), e leia abaixo a transcrição da mensagem:


Fazer discípulos é o transbordamento natural, ou melhor, sobrenatural de ser um discípulo.
Proclamar o amor de Cristo é o transbordamento da nossa participação na vida de Cristo.

Eu estou convencido que muitas pessoas em nossas igrejas estão simplesmente perdendo essa vida em Cristo.

E muito disso tem a ver com o que temos vendido como o evangelho, ou seja, “ore esta oração”, “aceite Jesus em seu coração”, “convide Cristo em sua vida”.

Não deveria nos preocupar o fato de que essa oração supersticiosa não existe no Novo Testamento?

Não deveria nos preocupar sabermos que a Bíblia nunca usa as frases “aceite Jesus em seu coração” ou “convide Cristo em sua vida”… ?

Isso não é o evangelho sendo pregado… é o evangelismo moderno construído sobre uma areia movediça e ele corre o risco de desiludir milhões de almas.

Isso é algo muito perigoso… Deixar essas pessoas pensarem que são cristãos quando elas ainda não deram uma resposta bíblica ao evangelho.

Se não formos cuidadosos, iremos retirar do evangelho, o sangue vital do cristianismo e colocaremos ki-suco de uva em seu lugar para que tenha um “gosto” melhor para as multidões não é apenas perigoso, é algo que trará condenação.

Então, quando eles pensarem em fazer discípulos, pensarão que basta sair e pedir que as pessoas apenas repitam essa oração.

Vamos mostrar isso… Vamos dar a eles o evangelho completo, vamos mostras às pessoas a grandeza de Deus.

Sim, Ele é um Pai que nos ama. É um Pai amoroso que nos salvará, mas Ele também é um justo juiz que poderá nos condenar.

Fonte: Gospel+

Indicação de Alan Castro

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.