Angela Natel On terça-feira, 19 de junho de 2012 At 08:27




O que se ouve muito hoje em dia é o apelo ao reinado e governo do chamado 'povo de Deus' sobre a terra. Fato é que se deixarmos esse mesmo povo governar estaremos mais do que perdidos, uma vez que já se evidencia que estão vendidos à politicagem, ao mercantilismo e à busca desenfreada pela prosperidade, a despeito do evangelho puro e simples do Reino de Deus.


Interessante é notar que a Bíblia enfatiza o Reino de Deus, isto é, o governo do próprio Deus sobre a terra. A redenção, portanto, abrange toda a criação, desde a natureza sendo restaurada e liberta da opressão dos maus, quanto os seres humanos sendo restaurados em seu relacionamento com o Criador e uns com os outros.
Essa redenção só é possível através da confiança em Jesus Cristo, que é tanto Deus quanto homem, e pode estabelecer essa ponte e nos ajudar no cumprimento de nosso propósito.


Mas, é claro que nada disso é interessante para as Igrejas Institucionais hoje em dia. A maior parte delas se rende a limitar o estudo da Bíblia ou manipular sua interpretação para que o 'povão' entenda o que elas querem. Dessa forma, se pega um ou dois versículos da Bíblia e se monta uma doutrina inteira que anula o entendimento do Reino de Deus. É o acontece com a idéia de que somos 'reis e sacerdotes' e que estamos aqui para reinar e governar. Os únicos dois versículos da Bíblia que mencionam essa expressão estão no livro de Apocalipse, o primeiro no capítulo 1 versículo 6 e o outro no capítulo 5 versículo 10:


"E nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai; a ele glória e poder para todo o sempre. Amém." (Ap.1.6)


"E para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra". (Ap.5.10)


Interessante é que essa divisão de capítulos e versículos surgiu séculos depois do texto ter sido escrito, e foi criado para facilitar o estudo. Agora retirar uma frase de seu contexto é absurdo, muito maior absurdo é espalhar uma idéia sobre uma frase que o contexto não ensina.
Vejamos, por exemplo, o contexto do capítulo 1, dos versículo de 1 a 6 para vermos qualé o assunto:


"Revelação de Jesus Cristo, a qual Deus lhe deu, para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer; e pelo seu anjo as enviou, e as notificou a João seu servo;
O qual testificou da palavra de Deus, e do testemunho de Jesus Cristo, e de tudo o que tem visto.
Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.
João, às sete igrejas que estão na Ásia: Graça e paz seja convosco da parte daquele que é, e que era, e que há de vir, e da dos sete espíritos que estão diante do seu trono;
E da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dentre os mortos e o príncipe dos reis da terra. Aquele que nos amou, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados,
E nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai; a ele glória e poder para todo o sempre. Amém." 
Apocalipse 1:1-6



Como é o início de toda a carta, é uma clara introdução a respeito do que será tratado, o assunto principal, que é apresentar quem é Jesus Cristo. Aqui não há menção de que reinaremos, mas que fomo feitos reis e sacerdotes para Deus - é um aspecto posicional em Cristo. Mas a ênfase aqui, o assunto, não é de reinarmos, mas quem Jesus é e o que Ele fez por nós.


Agora vejamos o capítulo 5, contexto do segundo versículo mencionado:


"E vi na destra do que estava assentado sobre o trono um livro escrito por dentro e por fora, selado com sete selos.
E vi um anjo forte, bradando com grande voz: Quem é digno de abrir o livro e de desatar os seus selos?
E ninguém no céu, nem na terra, nem debaixo da terra, podia abrir o livro, nem olhar para ele.
E eu chorava muito, porque ninguém fora achado digno de abrir o livro, nem de o ler, nem de olhar para ele.
E disse-me um dos anciãos: Não chores; eis aqui o Leão da tribo de Judá, a raiz de Davi, que venceu, para abrir o livro e desatar os seus sete selos.
E olhei, e eis que estava no meio do trono e dos quatro animais viventes e entre os anciãos um Cordeiro, como havendo sido morto, e tinha sete chifres e sete olhos, que são os sete espíritos de Deus enviados a toda a terra.
E veio, e tomou o livro da destra do que estava assentado no trono.
E, havendo tomado o livro, os quatro animais e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos.
E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda a tribo, e língua, e povo, e nação;
E para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra." 
Apocalipse 5:1-10



Interessante perceber a situação. Novamente o protagonista da cena é Jesus. Ele é mostrado como vencedor, conquistador, mas sempre através da figura de Cordeiro imolado, ou seja, vitória conquistada através de sofrimento e morte - imagem que se repete em todo o livro de Apocalipse. Essa imagem contraria, inclusive, as pregações triunfalistas de hoje em dia, que fogem da mensagem do sofrimento que traz maturidade, tão divulgada no Novo Testamento.


Ao estudarmos mais profundamente, João escreveu o Apocalipse às Igrejas que estavam passando por extrema perseguição por causa de sua fé e também para aquelas que estavam se desviando do verdadeiro evangelho. A ênfase de todo o livro é a pessoa de Jesus Cristo e a importância de se permanecer firme em meio ao sofrimento. Como o Cordeiro morreu mas venceu, eles deveriam saber que se fossem fiéis até o fim, venceriam.


É nesse contexto que essas duas pequenas menções a reis e sacerdotes é que aparecem, como conquistas de Jesus para nós, para a certeza de vitória caso sejamos fiéis até o fim. 


Porém, para aqueles que desejam continuar manipulando as massas com seu evangelho falso e manipulador, tirar essas expressões de seus contextos e pregá-las como jargões em seus discursos de prosperidade a fim de justificar atitudes de controle sobre os membros das Igrejas e ações que mais parecem um teatro sem sentido para o mundo ao invés de mostrar o caráter de Cristo no dia a dia, é melhor que se arrependam, e voltem ao evangelho de Jesus Cristo.


Tudo precisa ser filtrado pela Bíblia. E texto fora de contexto é como colocar palavras na boca de Deus.


Misericórdia, Senhor.


Angela Natel - junho de 2012.

5 comentários:

Diário Pessoal de Fernando Gasparetto disse...

Concordo e louvo a Deus pela tua vida. Mas estejamos sempre abertos a revelação do Espírito Santo.

Gostaria de lembrar que em Gênesis Deus dá o poder de governar e autoridade para o homem após a criação. Quando Adão peca ele dá esse direito de governo a Lúcifer, por isso ele é o príncipe deste mundo.

Porém, Jesus com sua morte de Cruz tomou de volta o que o homem tinha perdido.

Quem aceita a Cristo, passa a ter essa autoridade de governo novamente por meio de Jesus.

Agora, de fato, há muitos falsos profetas distorcendo essas mesmas palavras que citamos para tirar nossos olhos de Cristo e voltarmos a olhar para o nosso próprio umbigo e buscar apenas aquilo que nos dá prazer.

Se Jesus não for o centro de tudo e de todos, alguma coisa estará errada.

Por isso devemos ter cuidado. Tudo o que ouvimos deve passar pelo crivo da Palavra de Deus e testificar em nós através do Espírito Santo de Deus.

Deus abençõe.

Anônimo disse...

Amém,ler a bíblia com cuidado é fundamental.Ela deve ser nosso manual de vida!

Anônimo disse...

Porque, se pela ofensa de um só, a morte reinou por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça, e do dom da justiça, reinarão em vida por um só, Jesus Cristo.

Romanos 5:17

REINARÃO EM VIDA... Aqueles que RECEBEM a abundância da Graça e o dom da justiça por meio de JESUS!
Creiam e recebam!! e Reinem com Ele!!!

rinaldo sousa disse...


Romanos 5:17

REINARÃO EM VIDA... Aqueles que RECEBEM a abundância da Graça e o dom da justiça por meio de JESUS!
Creiam e recebam!! e Reinem com Ele!!!

VOCE QUE JA RECEBEU A ABUNDANCIA DA GRAÇA E O DOM DA JUSTIÇA POR MEIO DE JESUS, ENTAO VOCE POSSUI O REINO DE DEUS DENTRO DE VOCE, VOCE TEM UM REINO QUE E O REINO DE DEUS, ENTAO CONCLUI QUE ALTOMATICAMENTE POR ISSO DISSE E REINEM COM ELE, O REINO DE DEUS ESTA DENTRO DE VOCE ENTAO REINEM COM ELE, ESSE REINAR NAO E TOMAR POSSE ENTENDEU.

Anônimo disse...

ângela, vc está com uma ótima intenção, contudo com um equivocado modo de agir. Vc denuncia uma interpretação, contudo sua explicação diminui a Palavra. Se acaso ainda nunca chegastes a experimentar o significado de sermos, em Cristo, reis e sacerdotes, isso ainda não significa nada. Apenas vc que não viu a profundidade, altura e largura que a Palavra nos remete!!! A Obra de Deus é maior que apenas esperar bonitinho até o dia final, é viver com poder e autoridade sobre as ações satânicas... Não lhe culpo e não estou buscando intriga ou briga, apenas lhe afirmo que sua visão não está adequada, está muito religiosa e pouco cristã...
Deus a abençoe!!!
um simples pastor

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.