Angela Natel On sábado, 9 de junho de 2012 At 09:40

Fonte: Internet

 Determinada vez algumas crianças foram até Jesus, e os seus discípulos quiseram impedi-las. Daí Jesus disse:

"Deixai vir a mim os pequeninos".

Caro leitor, quero neste artigo abordar um sério problema que tem ocorrido no meio evangélico, muitos lideres citam a passagem de provérbios onde diz: ”Ensina o menino no caminho em que deve andar “. Texto maravilhoso mas interpretado de forma totalmente errada pelos lideres e pelos pais principalmente. Fazemos parte em uma cultura que ensina o menino ir à igreja e nada mais, sei que tem pessoas lendo este artigo e que talvez estejam Pensando: “Mas meus pais me levavam a igreja e hoje eu estou aqui”. Dê graças a Deus por você está no evangelho, por que a nossa realidade na prática é outra totalmente diferente, uma que a maioria das igrejas não investem em crianças e as que investem constroem apenas um lugar pra abrigá-los e nada mais. Quando me refiro que não há investimentos eu quero dizer que as crianças, hoje, não são esclarecidas acerca do verdadeiro evangelho, na verdade elas nem tem este recurso na igreja e nem tão pouco em casa. O que eles têm em casa são os pais, que em si, já são uns “maus exemplos” por que nem vida cristã se vê em casa, me explique como poderá um menino, desses, crescer de forma sadia? Outra coisa bem assustadora é quando os pais são extremamente religiosos, obrigando-os a atos do tipo: “Hoje é dia de jejuar” então, todos tem que fazer por que eu estou mandando.  Por favor, queridos não dá pra ver uma coisa dessas e ficar calado, muitas igrejas evangélicas tem sido no mínimo passiva de processos judiciais, por que, literalmente, vão de encontro ao estatuto da criança e do adolescente, igrejas que proíbem as crianças de jogar futebol, ir a uma praia, jogar vídeo game mesmo que de uma forma moderada, brincar com outros meninos que não sejam evangélicos. Onde vamos parar? Eu estou certo que não há investimentos em crianças por que muitos lideres sabem que vão trazer gastos, partindo do pressuposto que elas não são dizimistas, está tudo explicado.
Encerro o artigo dizendo o seguinte, que enquanto a postura das igrejas evangélicas for essa, infelizmente as nossas crianças estarão correndo perigo, tenho acompanhado muitos casos de prisão de menores, e acreditem, a maioria que cometem crimes possuem pais evangélicos, meditemos nisso e nos despertemos para uma educação sadia, que amanhã reflita em uma vida cristã sadia.

 A criança de hoje pode ser o cristão ou marginal de amanhã.
 A educação pode ser fundamental nesses processos quando dada ou quando negada.

 Pr.: Lucivaldo Dionísio


http://mulheresabias.blogspot.com.br/2012/05/o-perigo-que-criancas-correm-nas.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+MulheresSbias+(Mulheres+S%C3%A1bias)

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.