Angela Natel On quinta-feira, 21 de junho de 2012 At 06:39

Este é o primeiro e maior mandamento: "Amarás o Senhor teu Deus" (Mateus 22, 37). 


  1. Amar a si mesmo por causa de si mesmo (o amor de um escravo).

É quando obedecemos a Deus por medo de sermos castigados, ou de irmos para o inferno. Efésios 5, 29 – é o amor natural, humano.
Logo após o primeiro mandamento mais importante, encontramos: "Você deve amar seu próximo como a ti - a ti mesmo" (Mateus 22, 39). 
E isso porque o próximo tem a mesma natureza que você (2 Ped 1, 4). Ele também deve compartilhar o dom de Deus, especialmente o dom de amor que existe em você. 
Se você achar que é difícil pensar nas necessidades de seus irmãos e até mesmo seus prazeres, você tem tente controlar seus prazeres em você. 
Se você seguir seus desejos, você coloca a propriedade que está em você para servir a seus inimigos, isto é - suas paixões. 
É mais justo, mais honesto, compartilhar os recursos com outra pessoa, isto é, com seu vizinho, do que compartilhá-los com seu inimigo. 
Afaste-se de seus desejos maus. 
Ouça o ensinamento do Apóstolo Paulo "Basta manter Tendo alimento e vestuário" (1 Tm 6, 8). 
O amor que você tem por si mesmo será correto e justo ... 
E quando você compartilhar o que você tem, o seu amor se torna fraternal.



  1. Amar a Deus por causa de si mesmo (o amor de um empregado).

É quando amamos a Deus porque Ele nos abençoa e nos protege.
Não se pode amar o próximo com um coração puro, se você não gosta do próprio coração de Deus. E não podemos próprio amor do coração de Deus, se você não gosta de Deus. 
Devemos, portanto, primeiro amar a Deus, para sermos capazes de amar o nosso próximo como ao coração de Deus. Deus é o autor de todos os bens, e ele também é o autor do nosso amor por ele. 
Assim, o Criador, em seu projeto e seu desejo de nos salvar, quer que passemos por algumas dificuldades. Então, quando nos sentimos sobrecarregados pelas nossas fraquezas, Deus vem em nosso socorro e nos liberta. Aí vamos cantar para a glória de Deus. 
Salmo 50, 15
Desta forma, quem sabia amar a si mesmo, tão egoísta, começa a amar a Deus, mas ainda com interesse próprio. 
Percebe agora, porque muitas vezes experimentou que a força para fazer o bem vem de Deus (Filipenses 4, 13), e sem Ele nada pode fazer (Jo 15, 5). 
Mesmo se você tiver uma pedra ou um ferro no lugar do coração, cada vez que Deus te salvar de uma desgraça, seu coração fica mais suave, porque Deus faz de você alguém cada vez mais livre. 



  1. Amar a Deus por causa de Deus (o amor de um filho).

É quando amamos a Deus porque Ele é Deus, não por causa daquilo que podemos ganhar dEle.
E cada vez que nos aproximamos, podemos saborear a Sua bondade e na degustação, descobrimos como o Senhor é clemente (Sl 34, 9). 
Então aqui está o que acontece: nós amamos a Deus como devemos, por causa da experiência de sua doçura, e não por causa de nossas necessidades pessoais. 
Os Samaritanos disseram à mulher quando ela disse: "O Senhor está ali":
"Agora já não acreditamos apenas por causa do que você disse. Ouvimo-lo nós mesmos, e sabemos que ele é verdadeiramente o Salvador do mundo" (Jo 4, 42). 
"Agora, para nós, não é mais por causa das necessidades que amamos a Deus. 
Nós nos divertimos com o Senhor e nós sabemos como é doce. "Desta forma, as necessidades do corpo não significam tanto. Conhecemos os benefícios da alegria com Deus. 
Se você fizer essa experiência, vai obedecer o comando de amar o próximo mais facilmente. Na verdade, agora você pode amar a Deus e tudo pertencer a Deus. 
Você ama com um coração puro, e você obedece a esse mandamento facilmente, tão simples. Sim, como diz o apóstolo Pedro, o coração torna-se em mais pura obediência ao mandamento do amor (1 Pe 1, 22). 
Ele ama e não procura seus interesses, mas os de Jesus Cristo (Fp 2, 21). 
Se você diz: "Cantai louvores ao Senhor porque Ele é bom" (Sl 118, 1), você realmente gosta. Suponha que isso: você canta os louvores do Senhor, não porque o Senhor tem sido bom para você, mas simplesmente porque o próprio Senhor é bom. 



  1. Amar a Deus somente (o amor de um cônjuge).

Todas as outras afeições nascem desse amor, mas o que cultivamos é exclusivamente o amor que ama a Deus somente.
Sua fidelidade, meu Deus, parece que as mais altas montanhas "(Salmo 36, 7). 
Esse amor é uma montanha, é a montanha de Deus, rica e fértil" (Salmo 68, 16). 
Mas "Quem subirá ao monte do Senhor?" (Salmo 24, 3) 
"Quem vai me dar as asas de uma pomba para voar e eu estou descansando lá em cima?" (Salmo 55, 7) 
O lugar onde Deus habita é a paz, esta casa está localizada em Sião (Salmo 76, 2). "Ai de mim, estou longe do meu país e acho que o tempo" (Salmo 120, 5). 
Que um dia eu possa encontrar o amor e a experiência de ter o coração embriagado de Deus. 
Se assim for, não vou pensar em mim e eu olho para mim como um inútil plano. Vou inteiramente a Deus, eu irei me juntar com Deus, e já não têm um coração separado do dEle (1 Coríntios 6, 17). Vou então dizer: "Meu coração e todo o meu ser está esgotado em que você deseja. 
Deus, tu és o Deus do meu coração, meu bem para sempre "(Salmo 73, 26).
Você não sente a vida em si.  Você se torna vazio de si mesmo e é quase nada. Esta não é uma felicidade humana simples. Não, esta já é a vida céu ...
Assim, a nossa alegria não vai satisfazer as nossas necessidades egoístas, para sermos felizes. Este quer ver a vontade de Deus realizar-se em nós e através de nós. 
Isso é o que chamamos de cada dia em oração: "Seja feita vossa vontade assim na terra como no céu" (Mateus 6, 10). O amor é verdadeiramente santo e puro. Sim, é uma afeição doce e terna de Deus. 
Nós não podemos explicar como, mas a força do seu amor será inteiramente coerente com a vontade de Deus. Se não, que Deus seja tudo em todos "(1 Coríntios 15, 28), ainda há algo em você egoísta? 
Quando isso acontecerá? Quem vai? Quem vai experimentar? 
"Meu Deus, eu venho diante de ti, eu comparecerei perante o seu rosto, mas quando?" 
(Salmo 42, 3). 
Senhor meu Deus, "meu coração tem falado, meu rosto olha para o seu rosto, Senhor, eu te procuro" (Sl 27, 8). 
Você acha que um dia eu vou ver a sua casa? (Salmo 27, 4).
Em Cantares de Salomão, o noivo diz: 
"Meus amigos, comam e bebam, se embriagar, queridos amigos" (Ct 5, 1). 
Sim, eles estão bêbados de amor, os convidados para as bodas do Cordeiro (Apocalipse 19, 9). 
Eles comem e bebem à sua mesa no seu Reino (Lc 22, 30). 
Naquele momento, Cristo mostra-lhe, junto à Igreja, sua esposa cheia de glória. 
Ele não mancha nem ruga, nem coisa semelhante (Ef 5, 27). 
Eles amam a Deus acima de tudo, e só Deus. 
Assim também nós, nós amaremos somente Deus. 
Vai ser ele próprio a recompensa dos que O amam. 
Sim, ele sempre será a recompensa de quem O amar para sempre.


"A medida para amar a Deus é amá-Lo sem medida". – Bernardo de Claraval



0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.