Angela Natel On quarta-feira, 11 de abril de 2012 At 06:46


.
Art.29 - As marcas da verdadeira igreja, de seus membros e da falsa igreja.

Cremos que se deve discernir diligentemente e com muito cuidado, pela Palavra de Deus, qual é a verdadeira igreja, visto que todas as seitas, que atualmente existem no mundo, se chamam igreja, mas sem razão (1). Não falamos aqui dos hipócritas que, na igreja, se acham entre os sinceros fiéis; contudo, não pertencem à igreja, embora sejam membros dela (2). Mas queremos dizer que se deve distinguir o corpo e a comunhão da verdadeira igreja, de todas as seitas que se dizem igreja.

As marcas para conhecer a verdadeira igreja são estas: ela mantém a pura pregação do Evangelho (3), apura administração dos sacramentos (4) como Cristo os instituiu, e o exercício da disciplina eclesiástica para castigar os pecados (5). Em resumo: ela se orienta segundo a pura Palavra de Deus (6), rejeitando todo o contrário a esta Palavra (7) e reconhecendo Jesus Cristo como o único Cabeça (8).

Assim, com certeza, se pode conhecer a verdadeira igreja; e a ninguém convém separar-se dela. Aqueles que pertencem à igreja podem ser conhecidos pelas marcas dos cristãos, a saber: pela fé (9) e pelo fato de que eles, tendo aceitado Jesus Cristo como único Salvador, fogem do pecado e seguem a justiça (10), amando Deus e seu próximo (11), não se desviando para a direita nem para a esquerda e crucificando a carne, com as obras dela (12). Isto não quer dizer, porém, que eles não têm ainda grande fraqueza, mas, pelo Espírito, a combatem, em todos os dias de sua vida (13), e sempre recorrem ao sangue, à morte, ao sofrimento e à obediência do Senhor Jesus. NEle eles têm a remissão dos pecados, pela fé (14).

Quanto à falsa igreja, ela atribui mais poder e autoridade a si mesma e a seus regulamentos do que à Palavra de Deus e não quer submeter-se ao jugo de Cristo (15). Ela não administra os sacramentos como Cristo ordenou em sua Palavra, mas acrescenta ou elimina o que lhe convém. Ela se baseia mais nos homens que em Cristo. Ela persegue aqueles que vivem de maneira santa, conforme a Palavra de Deus, e que lhe repreendem os pecados, a avareza e a idolatria (16).

É fácil conhecer estas duas igrejas e distingui-las uma da outra.

1- Ap 2:9. 2- Rm 9:6. 3- Gl 1:8; 1Tm 3:15. 4- At 19:3-5; 1Co 11:20-29. 5- Mt 18:15-17; 1Co 5:4,5,13; 2Ts 3:6,14; Tt 3:10. 6- Jo 8:47; Jo 17:20; At 17:11; Ef 2:20; Cl 1:23; 1Tm 6:3. 7-1Ts 5:21; 1Tm 6:20; Ap 2:6. 8- Jo 10:14; Ef 5:23; C1 1:18. 9- Jo 1:12; 1Jo 4:2. 10- Rm 6:2; Fp 3:12. 11- 1Jo 4:19-21. 12- Gl 5:24. 13- Rm 7:15; G1 5:17. 14- Rm 7:24,25; 1Jo 1: 7-9. 15-At 4:17,18; 2Tm 4:3,4; 2Jo :9. 16- Jo 16:2.

Fonte: [ Orthodoxia ]

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.