Angela Natel On segunda-feira, 12 de março de 2012 At 08:01
Pai, meu Pai
Tu és meu, meu Pai
Não, Tu és nosso
Pai Nosso.

Pai Nosso,
não meu
estás no céu
Tu és Deus.

Acima de todos
melhor que eu
Pai Nosso
que estás no céu.

santificado
nome santo
seja teu nome
Nosso Pai.

Pai Nosso
que estás no céu
santificado
seja o teu nome.

É o teu nome que importa
não é o meu
Pai Nosso
que estás no céu.

Seja feita a tua vontade
não o que eu quero
mas o que tu queres
assim na terra como no céu.

Pai Nosso
Teu nome
tua vontade
nada meu.

O pão nosso de cada dia
dá a nós hoje.
Pai Nosso,
Pão nosso.

Tu és nosso alimento
Pai Nosso,
a cada dia
seja o nosso pão.

Não nos deixes cair em tentação
livra a nós do mal
Pai Nosso,
livra-nos.

Pois o reino é teu
o nome é teu
a vontade é tua,
nada é meu.

Tua presença e teu poder
são de fato reconhecíveis
e nenhum deles tem fim
Pai Nosso.

Reconhecer quem tu és
me coloca em meu lugar
nos coloca aos teus pés
para uns aos outros olhar.

(Angela Natel - 06/03/2012)

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.