Angela Natel On sexta-feira, 2 de março de 2012 At 05:47



As duas coisas!

(Pausa para efeito)

Antes que você me chame de um herege demoníaco, deixe me explicar. Permita me conceituar os dois tipos de igreja que tenho em mente nesse texto.

Igreja Orgânica.

Fundada por Cristo através da comunhão dos seus seguidores, aquela onde dois ou mais se reúnem em torno do nome de Jesus.

Igreja Empresa.

Aquela feita de tijolos, cimentos, títulos, cargos, esquemas partidários e grandes redes denominacionais.

A primeira é santa e imaculada.

Está sendo ornada, preparada, seguindo por um caminho estreito, sem medo, pagando um preço alto para se manter pura. É a Noiva indo ao encontro do seu Noivo.

A segunda é prostituta.

Deveria ser uma amplificação da primeira, infelizmente, há muito tempo, se prostituiu, virou empresa no negócio do evangelho.

A primeira adora a Deus em espírito e em verdade, faz a caridade voluntariamente, sem propaganda, seguindo a instrução do Mestre. Caminha de mãos dadas com os pequeninos, auxilia, instrui, faz o assistencialismo, mas também ensina pescar. Subverte o status quo babilônico com o amor do evangelho.

A segunda adora ao homem, prega um “EUvangelho” triunfalista, é exibicionista, gosta de estar no rádio, na televisão, pratica a prostituição política/religiosa. Como uma garota de programa, não beija na boca, não demonstra carinho e afeto, apenas abre as pernas, deixando claro o vinculo profissional. É o prazer em troca de dinheiro. Pague e ela falará tudo o que você quiser ouvir, afagara o seu ego, ofereça vantagens e ela manipulará seus clientes a votarem em você.

A primeira está dentro da segunda?

Sim! Mas a segunda não está dentro da primeira!

Dentro dos bordéis eclesiásticos existe a igreja imaculada, muita das vezes sofrendo calada ao ver a prostituição de sua irmã espalhafatosa. Muitas vezes a santa igreja tenta advertir a irmã prostituta, porém, é tachada de louca, de careta, de fora da visão e invejosa.
Assim a santa irmã segue seguindo a orientação do saudoso irmão Paulo e do Mestre Jesus, tendo paciência com os débeis na fé. Mansa como a pomba com os pequeninos incautos, mas astuta como a serpente com os cafetões espirituais.

Então, respondendo a questão.

A Igreja com “I” maiúsculo fundada pelo Senhor Jesus é santa, imaculada, a Noiva aguardando o Noivo.
A igreja com “i” minúsculo foi seduzida pelos cafetões, se deixou levar, apostatou da fé. Hoje ganha a vida se vendendo a políticos, a interesseiros dispostos a pagar por bênçãos divinas.

Volta logo Jesus! Essa minha irmã está me matando de desgosto!

Leia mais em Verbo Primitivo Na Pós Modernidade

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.