Angela Natel On segunda-feira, 5 de março de 2012 At 05:58


Quando um homem escolhe uma maçã de uma árvore, ele geralmente escolhe a mais madura, a que parece ser melhor. Não é assim que Deus age na escolha das almas que Ele salva. Ele não salva aqueles que menos pecaram ou aqueles que estão mais dispostos a serem salvos; Ele freqüentemente escolhe os mais vis dentre os homens "para o louvor e glória da Sua graça" (Ef 1:6).

Isto é provado pelos exemplos dados na Bíblia. Por que Deus escolheu Manassés, que "queimou a seus filhos""pôs imagem de escultura na casa de Deus" e encheu Jerusalém com o sangue de homens santos, enquanto muitos do seu povo iludido, que pecaram muito menos, pereceram? (2Cr 33). Por que Deus salvou Zaqueu "maioral dos publicanos"? (Lc 19:1-10). Por que Jesus disse aos fariseus, "os publicanos e as meretrizes entram adiante de vós no reino de Deus" (Mt 21:31)? Por que Jesus entrou nos portões perolados do paraíso com um pobre ladrão, que nunca tinha feito nada a não ser pecar, até seu último momento? (Lc 23:43 e Mt 27:44). Por que Ele deixou o outro ladrão, que não era pior do que seu companheiro (ambos merecedores do inferno), cair em perdição, estando ao alcance dos braços do Salvador Todo-Poderoso? Todas estas coisas aconteceram a eles como exemplos, para nos mostrar que Deus salva de acordo com a Sua boa vontade, não por nossas "boas" obras, mas para mostrar sua adorável e livre graça.

A mesma coisa se prova pela experiência de todo filho de Deus. Somente aqueles que "provaram que o Senhor é gracioso", não sentem objeção no seu coração à declaração de um simples crente: "Se Deus não tivesse me escolhido antes de eu ter nascido, Ele nunca teria visto motivo para me escolher depois, pois não há nada em mim que atraia o amor de Deus"
"Eis que até a lua não resplandece, e as estrelas não são puras aos Seus olhos. E quanto menos o homem, que é um verme, e o filho do homem, que é um vermezinho!" (Jó 25:5-6). Ele ama o que é puro, santo e perfeito; "mas eu sou carnal, vendido sob o pecado" (Rm 7:14). Tudo o que há em mim contribui para afastar a Deus. "Um Deus que se ira todos os dias contra o mau" (Sl 7:11). Ele estava irado comigo. A Sua natureza me causava aversão, pois eu estava debaixo do pecado de Adão. Fui formado em iniquidade; cada membro do meu corpo, cada faculdade da minha alma, era servo do pecado. Apesar disto, Ele veio sobre todas estas montanhas para minha alma. Eu disse, "Vieste aqui atormentar-nos antes do tempo?" (Mt 8:29). Eu não desejava conhecer Seus caminhos, mas Ele me fez desejar o dia do Seu poder. Glória, glória, glória ao Pai que me escolheu, ao Filho que morreu por mim e ao Espírito que me vivificou!

A salvação é do Senhor e é totalmente por Sua graça.




BARRABÁS LIVRE >>> http://barrabas-livre.blogspot.com/2012/03/deus-frequentemente-escolhe-os-mais-vis.html#ixzz1o3uWKBlm

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.