Angela Natel On quarta-feira, 28 de março de 2012 At 06:39

Pergunta

Queridos irmãos do VE!
Deus começou um processo em minha vida de se revelar por meio de Cristo numa igreja _____. Porém, durante esse tempo, essa instituição começou a crescer e temos visto a liderança, manifestamente se desviar da centralidade da palavra de Deus.
Um dos motivos desse aumento de membros ocorreu em decorrência de uma teologia humanista que se infiltrou, sorrateiramente, atraindo muitas pessoas, pois os “cultos”, as músicas e as pregações tinham o objetivo de “consolar”, agradar e beneficiar as pessoas nas suas carnalidades e dificuldades. Ou seja, estávamos seguindo uma linha de cantar e pregar coisas que as pessoas queriam ouvir e isso atraiu muitas pessoas.
Por conta desse aumento da membresia, muitas pessoas vieram de outras denominações, principalmente neopentecostais, sendo que, sem nenhuma cautela por parte da liderança, essas pessoas começaram a liderar ministérios bases da igreja, como: culto, casais e jovens. Assim, percebemos uma enorme e intensa transformação dessa instituição. Algumas pessoas que perceberam esse desvio da palavra já saíram, outras simplesmente não congregam mais e, ainda, outras, como nós, estamos sem saber o que fazer.
Nossa situação é complicada, pois essa instituição _____ é contra essa gritante distorção do evangelho, como a prosperidade. Mas, não percebe que o humanismo, liberalismo e essa linha mesclada neopentecostal estão destruindo a imagem de Deus e a obra de Cristo aos poucos. Já passamos cultos inteiros, sem qualquer menção ao sacrifício de Cristo na Cruz., tanto nas músicas que possuem temas como: “eu quero, eu vou, eu posso, eu sou”. Como na pregação que usa textos apenas para ensinar uma moralidade, como ser igual a Davi e segundo o coração de Deus!
A impressão que temos é que somos uma salada de frutas, sem doutrina, nem orientação teológica definida, pois muitos são os objetivos. Às vezes sinto que temos reuniões ecumênicas!
No entanto, Deus (tenho minha fé nisso também) começou a despertar algumas pessoas –  minoria é verdade – para o retorno ao verdadeiro evangelho e a centralidade da palavra de Deus por meio de pregação expositiva e cânticos teológicos com coerência bíblica. Deus começou a nos disciplinar e nos direcionar para as doutrinas da graça, para a pregação acerca da depravação humana e também para a doutrina da eleição. Estamos buscando materiais, como no blog de vocês e em outros lugares, exclusivamente reformados, para nos sustentarmos nessa congregação. Temos chorado e nos angustiado por ver essas distorções e, ao mesmo tempo, nos sentindo incapazes de nos levantar, uma vez que começamos a buscar e entender poucas coisas dessa reforma bíblica que precisa ser feita.
Assim, gostaria de solicitar, se for possível, uma opinião do que fazer!
Temos dúvida se continuamos nessa instituição, debaixo dessa liderança humanista e que tem aberto portas para neopentecostais, lutando por uma reforma, sendo que algumas discussões já ocorreram, ou, saímos em direção de outra liderança e congregação que possam nos ajudar e nos alimentar devidamente!

Resposta

Graça e Paz.
“Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino: prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina. Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas. Tu, porém, sê sóbrio em todas as coisas, suporta as aflições, faze o trabalho de um evangelista, cumpre cabalmente o teu ministério.” II Timóteo 4.1-5
O seu testemunho é por um lado um tanto animador, pois Deus lhe concedeu graça para buscar a verdade da Cruz, por outro lado, um pouco angustiante, pois pessoas da sua congregação estão abraçando estas doutrinas destituídas das Cruz de Cristo.
O primeiro é passo é cuidar de seu crescimento que está acontecendo agora, este despertar para as verdades da graça de Deus. Tal como Paulo aconselhou Timóteo “Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina.” I Tm 4.16ª,assim também cuide de ti mesmo neste momento, de seu amadurecimento e aperfeiçoamento na fé. Por mais que você possa estar angustiado com a situação da igreja local, tu só serás de alguma serventia a Deus se estiver andando no Espírito, manifestando os seus frutos (Gl 5.22-25).

Como lidar com pessoas que se opõem às verdades da Cruz?

“Ora, é necessário que o servo do Senhor não viva a contender, e sim deve ser brando para com todos, apto para instruir, paciente, disciplinando com mansidão os que se opõem, na expectativa de que Deus lhes conceda não só o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade, mas também o retorno à sensatez, livrando-se eles dos laços do diabo, tendo sido feitos cativos por ele para cumprirem a sua vontade.” II Timóteo 2.24-26

Fuja da contenda.

Como disseste no teu e-mail, já ocorreram algumas discussões, e uma coisa que deve ser evitada ao máximo é discutir.

Seja amável.

A brandura ou amabilidade se faz necessária nesta situação. E tenha sempre em mente que a reação de tais pessoas, é motivada por falta de conformidade com o caráter de Cristo, e nesta hora é necessário ganha-los para Cristo, e você pela graça de Deus deve manifestar o caráter de Cristo neste momento, eles precisam ver Cristo em você (Mt 5.9; Rm 12.9-21).

Mergulhe nas Escrituras.

Toda questão deve ser norteada pelas Escrituras, qualquer coisa que lhe perguntarem, sempre, sempre e sempre comece com a Palavra e não com os seus argumentos. Deixe claro que tudo o que você faz e fala é baseado nas Escrituras. A paciência e mansidão vão ser suas ferramentas de instrução.

Por que eles fazem o que fazem?

Se alguém se opõe à pregação da Cruz, esta pessoa pode ser classificada como um inimigo da Cruz de Cristo tal como Paulo fala em Filipenses 3.18, ou como Paulo diz em II Timóteo 2.26 “mas também o retorno à sensatez, livrando-se eles dos laços do diabo, tendo sido feitos cativos por ele, para cumprirem a sua vontade.”.
A insensatez destes de se oporem à pregação da Cruz de Cristo se dá pelo fato que estão cativos pelo diabo, para cumprirem a sua vontade. E isso só a Palavra e a oração para resolver. Ore, interceda por eles diante de Deus, rogando que Deus lhes conceda o arrependimento e o retorno à sensatez.
Não digo para você sair, porque isso é algo muito particular entre você e Deus, mas o que posso dizer é ame a cada um deles, não suas práticas, mas simplesmente os ame. Quando você não sentir mais paz em ficar com eles, então saía.
São em situações assim, que Deus nos concede mais fé nele – passamos a orar mais e depender mais dele. Isso está servindo apenas para moldá-lo e levá-lo a uma maior semelhança de Cristo. Peça sabedoria a Deus (Tg 1.5).
Que o Senhor seja Glorificado através de você.
Por João Vitor © Voltemos ao Evangelho.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

http://voltemosaoevangelho.com/blog/2012/03/aconselhamento-biblico-devo-sair-da-minha-igreja-ou-lutar-por-uma-reforma/?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+voltemosaoevangelho+%28Voltemos+ao+Evangelho%29

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.