Angela Natel On sábado, 25 de fevereiro de 2012 At 05:28




Danilo Fernandes &
Hermes Fernandes


Na década de 80 havia um programa de TV chamado "O povo na TV". Marcou época. Lançou muitos apresentadores de programas "MARRONS" ou "SANGUINOLENTOS", políticos populistas, malandros famosos e até líderes religiosos. Gente como Wagner Montes e o Roberto Jefferson, o painho do mensalão, começaram ali.

Foi censurado, proibido e forçado a se reformatar, pois apelava demais para o "a vida como ela é"; "o mundo cão"; “a fratura exposta da sociedade”; “o lado B”; enfim: a cena dos miseráveis, seus dramas e as soluções "milagrosas" e "messiânicas" oferecidas pelos super-heróis do populacho no programa...

Era a miséria e o milagre na TV. E nem precisava de pastor ou missionário!

Passados quase 30 anos, o que foi censurado e recriminado é coisa dominante, corriqueira e meio de vida de "igrejas" mundiais, universais, internacionais e intergalácticas.

É tudo o que se vê na TV aberta após certa hora da noite.

Na época, o ministério público não reclamava necessariamente da exposição da miséria e da ajuda prestada aos necessitados, mas da veracidade dos fatos e soluções apresentadas. Muitas foram provadas como armações...

Esta geração de defensores da seriedade deve estar aposentada. Os antigos "astros", na sua maioria, se colocaram em posição de "cambalachos" maiores, dando seu lugar à “banda podre” da igreja evangélica que se serve deste banquete do capeta e não falta quem queira ser assistente no circo da miséria humana em cartaz nos palcos destes exploradores da fé. Tudo por um lanche barato e a celebridade de 3 minutos.

Tome posse do que é seu. “Receba pelos olhas da fé” e pelas lentes da TV.

“Não tenha vergonha! Se você foi curado dê seu testemunho senão o diabo vem e rouba a sua bênção”.

Na TV não tem milagre pequeno. O Senhor vai te usar no testemunho! Vale até hímen restaurado!

E tome radiografia! Tome carro zero quilômetro. Nem o Baú da Felicidade, nem o Faustão, dão tanto carro quanto o “deus” da IURD!

Como levar a sério uma igreja que se inspira no que há de mais bizarro no mundo? Como levar a sério pastores que esbravejam dos púlpitos como se fossem caricaturas do Ratinho?

Achamos graça do Inri Cristo e suas inriquetes, mas aos olhos do mundo estamos muito perto desse grau de insanidade.

Também no hemisfério norte as coisas não são diferentes do que acontece em terras tupiniquins. Cansa ver a constante pedição de dinheiro. Difícil é encontrar um programa sério, onde se pregue a Palavra sem subterfúgios. Algumas figuras são onipresentes. Não adianta trocar de canal. Você sempre vai dar de cara com Mike Murdock (um dos gurus do Malafaia), Benny Hinn, Morris Cerullo, e outros, que só fazem pedir uma tal semente de 1000 dólares.

E quando a gente pensa que essa geração já está passando, e que em breve nos veremos livres de suas bizarrices, eis que surge uma nova geração. O que nos Estados Unidos é um fenômeno antigo, no Brasil está só começando. Pelo que tudo indica, Marco Feliciano ainda tem muita estrada pela frente. Silas Malafaia já está colocando o filho na fita. Miguel Ângelo, idem. Macedo parece estar perto de se aposentar, mas o Panceiro ainda tem muita pança pra gastar, sem contar o Valdemiro Santiago, que trouxe fôlego renovado para o neo-pentecostalismo.

Já é hora de desarmar o circo e mandar os palhaços pra casa.

Enquanto os palhaços pintam os canecos, as coitadas das ovelhas fazem malabarismo.

O que dá audiência aos programas como os do Ratinho é ver as pessoas se engalfinharem no palco. O papel do animador é apenas atiçar pra ver o circo pegar fogo. A audiência vai às alturas. E a fórmula é simples: Dar ao povo o que o povo quer ver.

Ele fará uso de todas as formas de engano da injustiça para os que estão perecendo, porquanto rejeitaram o amor à verdade que os poderia salvar. Por essa razão Deus lhes envia um poder sedutor, a fim de que creiam na mentira, e sejam condenados todos os que não creram na verdade, mas tiveram prazer na injustiça.[2Ts.2:10-12]
Fico-me perguntando até que ponto estes picadeiros eclesiásticos não seriam juízo de Deus sobre os que não querem a verdade. Afinal de contas, eles dão o que o povo quer. É a mesma lógica que pauta os programas televisivos na busca de audiência.

Que se dane a qualidade! O povo quer pancadaria, imagens bizarras, mulher barbada, testes de DNA... Então, toma!

O povo quer entrevista com demônios, água do rio Jordão, encontros tremendos, clamar dentro do peixe, chafurdar na gruta sagrada, quebra de maldição, unção financeira a 900 reais... Então, toma!

É isso que enche a igreja. Simples assim. Ninguém está se importando com a qualidade de crentes que isso vai gerar.

Naquele tempo muitos ficarão escandalizados, trairão e odiarão uns aos outros, e numerosos falsos profetas surgirão e enganarão a muitos. [Mt 24: 10-11]
Quem é que quer culto de oração? Quem está interessado em estudar a Palavra? Quem quer buscar crescer na Graça e no conhecimento do Senhor? A igreja que insistir com estas coisas, corre o risco de se esvaziar. Mas olhe as ovelhas que se alimentam destes pastos. Estão saudáveis, bem alimentadas, com sua lã intacta e branquinha. Em contraste, veja as ovelhas logomarcadas que afluem para aqueles matadouros. Repare a carranca, o peso que parecem levar sobre os ombros, o espírito supersticioso... Dá até pena!

Ao Senhor ninguém engana! No toma-lá-dá-cá divino e na roleta dos desesperados não há aposta vencedora, Deus não se constrange nem com o sacrifício da fogueira e nem com o que os enganadores determinam em Seu Santo nome. Para esta gente, quando a bola da “roleta” da benção para, o número sorteado é sempre o do inferno. Para quem ganhou a aposta, ou para quem perdeu. No final, vão todos levar bosta na cara!

“Quando vocês trazem animais roubados, aleijados e doentes e os oferecem em sacrifício, deveria eu aceitá-los de suas mãos?”, pergunta o SENHOR. [Ml 1:13]

Por causa de vocês eu destruirei a sua descendência; esfregarei na cara de vocês os excrementos dos animais oferecidos em sacrifício em suas festas e lançarei vocês fora, com os excrementos. [Ml 2:3]

Repetimos para ficar BEM claro: Os animadores de púlpito, os enganadores, os vendedores de unção, os paipóstolos, os profetinhas de mamon, os pastores rodopiadores e seus piõeszinhos, os trombetinhas de "milagres" do capiroto e seus seguidores vão TODOS levar bosta na cara e DEPOIS, juntos com a merda, serão lançados ao inferno!


***
Danilo e Hermes são dois subversivos do Reino de guarda na torre do Genizah.


Leia Mais em: http://www.genizahvirtual.com/2009/10/ovelhas-outdoor-dadas-baal-na-tv.html#ixzz1nJ0sXAJg
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial Share Alike

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.