Angela Natel On segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012 At 04:58


Gostaríamos de convidar você e sua igreja para participarem do Domingo de Liberdade.
O Domingo de Liberdade tem como objetivo o fim da escravidão moderna através de igrejas mais ativas e conscientes na luta contra este mal. Nunca existiram tantos escravos no mundo como nos dias de hoje. Estima-se que atualmente existam de 27 a 50 milhões de escravos no mundo.

O Domingo da Liberdade foi iniciado em Fevereiro de 2010 em mais de 30 países, com mais de 1.000 igrejas participantes.
Em 2011, esse número cresceu para 2.500 igrejas em 45 países.
Nosso alvo para 2012 é que 10.000 igrejas participem em todo o mundo.

O Domingo de Liberdade pode ser realizado em qualquer domingo do ano, mas no dia 26 de Fevereiro de 2012, milhares de igrejas ao redor do mundo todo irãoproclamar a esperança da liberdade. Sintam-se livres para prepararem algo, usando a sua criatividade e a dos membros de sua comunidade para fazerem algo especial nesse dia.

■ Cantem canções sobre a Liberdade
■ Orem pelos cativos
■ Preguem sobre a Justiça e Liberdade 

■ Distribuam folhetos informativos 

■ Façam uma exibição do vídeo sobre o tráfico humano
■ Busquem informações sobre o que o governo e a rede tem feito a respeito

Assista ao video

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.