Angela Natel On segunda-feira, 14 de novembro de 2011 At 14:21




"A religião pura e imaculada
para com Deus, o Pai, é esta:
Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações,
e guardar-se da corrupção do mundo.".
(Tiago 01:27).

- Outro dia um jovem me perguntou qual a religião de Jesus.

- Ele queria saber se Jesus era católico, protestante, evangélico ou outra.

- Eu respondi que Jesus não tinha religião.

- Jesus é a religião.


- Religião quer dizer religar, e uma vez desligado de Deus, somente um tem o poder de religar o homem novamente a Deus, e este um é Cristo Jesus.

- A religião católica não religa ninguém a Deus, muito menos a evangélica.

- Todas as religiões no mundo podem no máximo apontar o Caminho, mas o único Caminho que nos leva a Deus é Cristo Jesus.


"Disse-lhe Jesus:
Eu sou o caminho,
e a verdade e a vida;
ninguém vem ao Pai,
senão por mim.".
(João 14:06).

- Cristo Jesus não criou o catolicismo, nem o protestantismo, nem o islamismo ou qualquer outra religião como também não criou a evangélica.


- Foram os homens que criaram todas elas com a única finalidade de aprisionar aqueles que deveriam ser livres.

- Todo homem em Cristo Jesus é livre das crendices religiosas, mas aquele que defende sua religião torna-se prisioneiro dela.
“Porque o que é chamado pelo Senhor,
sendo servo, é liberto do Senhor;
e da mesma maneira também
o que é chamado sendo livre,
servo é de Cristo.
Fostes comprados por bom preço;
não vos façais servos dos homens.”.
(1º Coríntios 07:22-23).



- Não vos façais servos dos homens!

- Não vos façais servos das religiões criadas pelo homem para complicar a simplicidade do Evangelho de Cristo Jesus.

- Não vos façais servos do catolicismo e nem do protestantismo, mas sejais servos de Cristo Jesus!


- Este jovem pertencia a uma religião que em vez de libertá-lo da ignorância, cada vez o aprisionava mais a crendices absurdas.

- Ele já havia pertencido à religião católica onde se sentia preso, e passou a pertencer à protestante evangélica onde continuou sentindo-se prisioneiro.


- Ou seja, saiu da boca de um lobo para cair na boca de outro lobo mais faminto ainda.

- Tanto a primeira religião que ele havia seguido quanto a segunda eram religiões “cristãs”.

- Saiu da católica porque ouviu na evangélica que na católica todos eram idólatras, mas com o tempo descobriu que a evangélica era mais idólatra ainda.


- Na católica havia adoração a ídolos e imagens.


- Na evangélica havia adoração a rosa ungida, o sabonete de arruda, martelo da justiça...

- A religião católica havia criado santos para serem adorados como São Benedito e São Rafael.


- Na evangélica criaram um tal de São Dízimo...

- Este jovem estava se perdendo no meio desta podridão religiosa, mas um dia teve a oportunidade de ouvir sobre a verdadeira religião.
"A religião pura e imaculada
para com Deus,o Pai, é esta:
Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações,
e guardar-se da corrupção do mundo.".
(Tiago 01:27).



- A verdadeira religião é o amor.

- A verdadeira religião é amar aqueles que sofrem tribulações e guardar-se da corrupção do mundo.

- A verdadeira religião não é adorar estatuas de ouro nem fazer comércio com a pregação do Evangelho.

- A verdadeira religião não recolhe dízimos de seus seguidores, pois o dízimo é uma lei da religião judaíca.

- Jesus Cristo não tem nada a ver com este São Dízimo aí amado (a).


- O dízimo tem origem no pensamento mítico, primeiramente como sacrifícios e ofertas aos deuses e divindades para obter "permissão" divina para o bom cultivo de bens mundanos, seja na pesca, coleta, agricultura, etc.


- Transmutou-se em dízimo em certas religiões, e por fim, transmutou-se em impostos, que seria a versão secular do dízimo.

- Mas hoje o dízimo virou uma espécie de deus muito mais poderoso do que a fé no nome do SENHOR.

- E estas coisas não fazem parte da verdadeira religião.

- A verdadeira religião recolhe ofertas e as distribue para os orfãos e as viúvas:


"A religião pura e imaculada
para com Deus, o Pai, é esta:
Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações,
e guardar-se da corrupção do mundo.".
(Tiago 01:27).


- A verdadeira religião não recolhe dízimo e ofertas para construir templos suntuosos que chamam de “igreja de GEZUIS”.

- Estes profetas da “igreja de GEZUIS” haviam confundido o entendimento daquele jovem, mas depois de ouvir que a verdadeira religião era o amor, ele começou a sentir-se verdadeiramente livre.

- Ele hoje não tem religião e é livre em Cristo Jesus para amar.

- Antes ele era proibido de amar o próprio pai, pois seu pai era da outra religião e não tinha se convertido a sua nova religião.


- Antes ele era proibido de amar a própria família, pois lhe ensinaram que Cristo Jesus veio para separar e não para juntar:
"Porque eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai,
e a filha contra sua mãe,
e a nora contra sua sogra;".
(Mateus 10:35).

- Realmente o compromisso com Cristo pode separar amigos e entes queridos.

- Mas ao pronunciar essas palavras, Jesus não estava encorajando a desobediência aos pais nem conflitos no lar, apenas procurou mostrar que a sua presença exige uma decisão e posicionamento.

- Pelo fato de que alguns irão segui-lo e outros não, é inevitável que ocorram divergências, mas não uma “guerra santa”.


- Esta “guerra santa” entre familiares se estendeu entre católicos e protestantes, entre evangélicos da denominação A contra a denominação B, e chamam a isto de religião.

- Este jovem estava lutando contra a carne e o sangue, contra o pai e mãe que eram de outra religião, contra o ateu que nada tinha a ver com isto, e pior, lutava contra a verdade.

- Se existe um inimigo do qual devemos lutar, este não são nossos parentes e amigos, são os principados e as potestades:


“Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue,
mas, sim, contra os principados,
contra as potestades,
contra os príncipes das trevas deste século,
contra as hostes espirituais da maldade,
nos lugares celestiais.”.
(Efésios 06:12).

- Hoje este jovem deixou de ser menino na fé e tornou-se adulto:


“Quando eu era menino,
falava como menino,
sentia como menino,
discorria como menino, mas,
logo que cheguei a ser homem,
acabei com as coisas de menino.”.
(1º Coríntios 13:11).

 
- Hoje o jovem tornou-se um homem maduro na fé e é capaz de amar incondicionalmente tanto ao católico quanto ao protestante evangélico.


- Hoje ele é capaz de amar e tocar no leproso como Cristo Jesus o tocou; com amor e não com regras.

- Hoje o ele pode pregar a Boa Nova através de obras e não apenas de palavras.

- Que este jovem que se tornou homem na fé seja eu e você amado (a).

- Que eu e você venhamos a praticar a verdadeira religião e não fazer como os religiosos fazem.


- Eles fizeram da fé uma profissão e da morte de Cristo um meio de vender uma cruz para cada um de seus seguidores.

- Que nós venhamos seguir a Verdade e jamais as “meninices” destes cães gulosos:


"E estes cães são gulosos,
não se podem fartar;
e eles são pastores que nada compreendem;
todos eles se tornam para o seu caminho,
cada um para a sua ganância,
cada um por sua parte.".
(Isaías 56:11).

- A verdadeira religião é o amor.

- Se você não gostou do que leu e por isto me odeia então você ainda está contaminado pela vã religiosidade, mas se você não gostou, mas continua me amando mesmo assim, então você é praticante da verdadeira religião.


- Podemos ter diferenças, não concordarmos em tudo, mas se somos praticantes da verdadeira religião, estas diferenças não podem nos impedir de continuar nos amando.

- Esta é a verdadeira religião e cada um de nós deve escolher quanto desta Verdade consegue suportar.

- Busque a verdade em Cristo e não na religião.

- Busque a verdade, mas duvide daqueles que dizem terem a encontrado.


- Não existe outro Deus se não a verdade, e não existe outra religião se não o amor.

- Que a verdade e o amor de Cristo Jesus sejam realmente suficientes em cada uma de nossas vidas.

- Que eu aprenda a amar e a perdoar como Cristo me ama e me perdoa.

- Que eu e você, seja de que religião for, venhamos amar a Verdade, mas que aprendamos a perdoar o erro do outro.

- Católico, protestante, evangélico; sem amor nada disto tem valor.


- Que todos nós venhamos aprender a guardar nossos corações puros sem a contaminação religiosa que endurece os relacionamentos.

"A ÚNICA VERDADE QUE LIBERTA É A DE DEUS
AS OUTRAS APENAS MACHUCAM"

1 comentários:

Anônimo disse...

http://prixviagragenerique50mg.net/ commander viagra
http://prezzoviagraitalia.net/ viagra
http://precioviagraespana.net/ viagra

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.