Angela Natel On segunda-feira, 15 de agosto de 2011 At 06:43
Hoje é o dia da Independência da Índia


Muldialmente, os muçulmanos Dawoodi Bohras
chegam a cerca de 1 milhão. Eles residem na Índia, Paquistão, Oriente Médio, África Oriental e Índia Ocidental do Gujarat. Na India, os Dawoodi Bohras são
facilmente reconhecíveis por sua vestimenta: os homens cultivam barbas e quepes brancos com detalhes dourados com kurfas longas e as mulheres usam burcas coloridas e adornadas.
Surat, no estado de Gujarat, é tipicamente conhecida
como a capital para os Dawoodi Bohras. Situada às
margens do rio Tapi, a antiga cidade portuária de Surat é renomada por suas sedas finas, lindos brocados e pelo comércio de especiais. Surat foi uma das mais
prósperas da India nos séculos 17 e 18. A Compania das
Indias Orientais estabeleceu seus primeiros depósitos
em Surat em 1612. A palavra “Bohra” deriva do Gujarati “vohorvu”, significando “comerciar”. A maioria dos Bohras são mercadores em diferentes áreas.
O estado de Gujarat passou por calamidades naturais
como enchentes, ciclones, secas e terremotos na última
decada. Surat foi muito afetada pelo terremoto e pela
enchente que destruiu muito de Gujarat, e também
passou por diversas revoltas populares. Surat é uma
cidade volátil – tensões entre Hindus e Muçulmanos
são frequentes. Revoltas acontecem frequentemente,
propriedades são destruídas e vidas são tiradas sem
muita pretensão.
Surat é uma cidade muito significativa para os Dawoodi Bohras, uma vez que é aonde todos os obreiros religiosos dos Bohras são treinados para o ministério.
Há uma universidade Bohras bem conhecida, especialmente equipada para este propósito em Surat. Os melhores alunos vem de toda a comunidade e é uma
honra ser selecionado e treinado nesta universidade.
A comunidade Bohras está separada, isolada e nãoalcançada pelo Evangelho. Por alguns anos, uma equipe tem orado e pedido ao Senhor por pessoas que
alcancem os Bohras e os muçulmanos em Surat. No
momento, há muito pouco sendo feito para proclamar
o Messias entre os Bohras e os muçulmanos em Surat. Surat é uma cidade que necessita muito da luz do Evangelho. Que os pacificadores colha uma colheita de
justiça entre os muçulmanos de Surat.


Idéias para Oração:

Adore ao Senhor, nosso provedor, Jeová Jiré (Gen.
22:14). Ore contra o espirito de materialismo que permeia
a vida dos Bohras. Peça ao Senhor que se revela como o
Provedor Perfeito.
Ore para que Deus se mova sobrenatualmente entre
os Bohras em Surat. Ore que eles recebam sonhos e visões
do Deus Vivo.
Peça ao Senhor da Colheita por mais obreiros que
venham e vivam entre os Bohras em Surat. Ore por
sabedoria pelos líderes. Ore que as pessoas certas se
juntem ao trabalho.
Ore por uma atitude de humildade entre os Bohras.
Ore que o Príncipe da Paz acalme as tensões entre os
Muçulmanos e Hindus em Gujarat. Ambos necessitarão
aprender o caminha da Paz.
Ore por novas abordagens de negócios para a
comunidade.

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.