Angela Natel On segunda-feira, 29 de agosto de 2011 At 07:15
Idioma: Dari População: 316.000


O nome Qizilbash, que tem o significado turco de “Cabeças Vermelhas” é
dado a uma grande variedade de grupos militantes shiitas que ajudaram a
fundar a dinastia Safavid do Irã (1501-1722). Seu nome é derivado da peça de
vestimenta distinta que usam sobre suas cabeças, com doze pontos indicando
sua aderência ao decimo segundo ramo do Islã Shiita (o principal grupo Shiita). Os Qizilbash do Afeganistão são decendentes de tropas deixadas por Nadir
Shah durante sua “campanha Indiana” em 1738. Eles tinham postos importantes em gabinetes do governo no passado e hoje eles são comerciantes ou artesãos. Como Muçulmanos Shiitas de fala Persa, eles constituem um elemento
importante e politicamente influente da sociedade na nação do Afeganistão.
Um número exato de sua população é dificil de se obter porque eles possuam
uma identidade religiosa dupla (chamada taqiyya) devido à perseguição de
Muçulmanos Sunitas. Não se sabe de nenhum crente entre os Qizilbash.



Idéias para Oração:

Adore ao Senhor com cânticos. Proclame a soberania de Jesus aos confins
da Terra, baseado no Sl 72:5-8, 12-14 (pense na pobreza e na violência no
Afeganistão).
Ore por portas abertas nas vidas dos Qizilbash para que os crentes possam
encontrar oportunidades para compartilhar sobre Jesus com eles.
Ore por obreiros entre os crentes afegãos para ministrar aos Qizilbash.
Há muito poucos recursos sobre o Evangelho em seu idioma. Peça a Deus para
que Ele levante linguistas para traduzirem as Escrituras, literatura e gravações de
aúdio para o Dari. (Informação da Frontiers)



QUEM SãO OS SHI’AS (SHIÍTAS)?

Os primeiros três califas (sucessores)
de Maomé foram escolhidos da ampla
comunidade Muçulmana. O quarto era
Ali, o sobrinho de Maomé e seu genro,
que casou com a filha de Maomé, Fátima,
muitos anos depois. Ali conseguiu seu
título, mas logo depois ele foi assasinado
em 661 D.C. Os shiitas acreditam que os
governantes por direito da comunidade
muçulmana global eram de fato Ali
e seus onze descendentes através do
neto de Maomé, Hussein que morreu
como um mártir no Iraque em 680 DC.
Grande parte dos shiitas acredita que
a linha de sucessão continuou até seu
descendente Maomé al-Mahdi, o décimo
segundo “Imam divinamente guiado”,
que misteriosamente desapareceu no
início de 874 DC aos cinco anos de idade.
Supõe-se que algumas pessoas tiveram
acesso a ele até 941 DC. Após este tempo,
a esperança dosshiitas pelo governo sobre
a comunidade muçulmana foi totalmente
transferida para o mundo invisível à partir
do qual um guia espiritual – chamado de
Imã (líder) Oculto ou Mahdi (aquele que
guia), que irá eventualmente retornar.


Compaixão
Ele teve compaixão deles, porque eram
como ovelhas sem pastor.... (Mc 6:34).
Os afegãos já passaram por uma série de
guerras terríveis.

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.