Angela Natel On quarta-feira, 17 de agosto de 2011 At 08:48
Hoje é o dia da independência da Indonésia.


O povo Kangean (pop. 135mil) vive na ilha indonésia de Kagean, ao norte de Bali. A ilha tem um grande potencial turistico. Suas praias banhadas pelo Mar de Java são lindas e virgens,
e a fechada floresta East Kangean é repleta de animais e lindos
pássaros. Macacos, dragões de komodo e cobras são abundantes.
Artesãos locais vendem trabalhos em madeira.
Desde 1993, as ilhas tem sido um local de exploração de gás natural. Há uma coneção com a Java oriental através de um gasoduto
de 430km de comprimento, cuja maior parte está submersa. Outros recursos economicos das ilhas incluem madeira, coco e sal.
Apesar do desenvolvimento trazido pelo gasoduto, muitas áreas
permanecem sobdesenvolvidas, e viajantes em busca de aventuras ao ar livre poderiam se sentir em casa aqui. Os Kangean são
uns dos últimos 200 grupos de povos muçulmanos com mais de
100mil sem nenhum esforço organizado para se estabelecer uma
comunidade de crentes.


Idéias para Oração:
Que Deus se faça conhecido (Lucas 10:21-24)
Adore a Deus e proclame o Salmo 97:1 sobre as ilhas.
Peça a Deus por oportunidades para as Boas Novas serem vistas,
ouvidas e demonstradas entre os Kangeans (Mc. 16:15-19)
Ore pelo povo Kangean, para que eles tenham oportunidades de
ler as Escrituras, de ver filmes sobre os Evangelhos e interagir com
crentes com seu idioma.



0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.