Angela Natel On terça-feira, 30 de agosto de 2011 At 07:17
o maior grupo missonal islãmico


Recentemente, de 3 a 5 milhões de muçulmanos
chegaram a Tongi, ao norte de Dhaka, aonde o
movimento Bagladesh separou 160 acres (0.65 km2)
para um evento anual. Eles vieram de mais de 80 países
para um “ljtema” (encontro) de três dias Depois do
Haji, este é o maior encontro islâmico. O Bishwa ljterna
(encontro global) é patrocinado pelo movimento Tablighi Jamaat (a sociedade pela propagação da fé).
O encontro enfoca em orações e meditação. “O debate
político não é permitido no encontro”, afirma o Tablighi Jamaat. Frequentemente referidos como TJ’s, os Tablighi Jamaat são o maior grupo missional muçulmano do mundo (na África, América do Norte, Europa, Asia e além). Não há uma estimativa precisa de quantos seguidores do TJ, mas coloca-se o númedo em 70 a 80 milhões de pessoas, tornando-o o maior movimento
dentro do islã.
O Tablighi Jamaat enfoca em “corrigir” a prática
muçulmana e suas doutronas. Parte disso envolve no
isolamento de não-muçulmanos. “Nós dizemos a nossos irmão e irmãs que vivem em sociedades seculares que se misturar com não-muçulmanos os tornam
fracos” – afirma Naeem, um porta-voz no Canada.
“Nós lhes falamos para se separarem, contruírem suas
próprias escolas e passarem tempo com outros muçulmanos. Esta é a única forma de lutar contas as forças do secularismo”.
Os TJ se tornaram grantemente bem-sucedidos, principalmente porque um de seus seis “passos” requerem que os seguidores saiam por dias ou semanas para passar um tempo renovando sua fé. Eles também estão envolvidos em levar outros muçulmanos para aumentar a prática religiosa. Eles são criticados por grupos
islãmicos como uma seita exclusiva “a qual o ensino
exclui todos os outros muçulmanos que não seguem
suas definições particulares do que significa comunicar a mensagem do Islã.
Os TJ se auto-professam pacifistas que tendem a ficar de fora da internet e longe das câmeras. Mas sua mensagem tem sido bem-sucedidas em locais como
Bangladesh, aonde desastres naturais e conflitos for-
çaram dezenas de milhares a se unirem a campos de
refugiados. “Eles são os únicos ajudando as pessoas”,
diz Anwar. “O governo não fez nada, mas o grupos religiosos estão lá desde o começo. Eles estào ganhando as pessoas”.



Idéias para Oração:

Conforme os membros do TJ se movem ao redor do
mundo, ore que eles encontrem cristãos que reflitam a
vida e o amor do Messias a eles. (Col 4:3; Sl. 9:20)
Ore por Bangladesh, um país que é 85% muçulmano,
que sofrem mais do que muitos no mundo. Problemas de
superpopulação, pobreza generalizada e catástrofes como
enchentes, ciclones e inanição atingiram fortemente o
país. Deus está abrindo os corações dos muçulmanos para
responderem ao Evangelho (veja Atos 16:13-14).
Ore que fortes congregações possam ser estabelecidas conforme Deus trabalha na nação. É necessário um
discipulado centrado na Cruz para aqueles interessados
no Messias.

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.