Angela Natel On sábado, 16 de julho de 2011 At 08:36


Creio em Deus Pai, criador do céu e da terra,
E em Jesus Cristo seu único filho; eu creio no nascimento virginal;
Eu acredito no Homem das Dores, e moído pelas iniqüidades;
Eu acredito no cordeiro que foi crucificado e pendurado entre dois ladrões;
Eu acredito na ressurreição, no terceiro e glorioso dia;
Eu acredito no túmulo vazio e na pedra que o anjo rolou.

Ele desceu e libertou os cativos,
E agora Ele está sentado à direita de Deus e prepara um lugar para mim.

Este é o meu credo,
O testemunho que tenho ouvido,
A fé que tem permanecido.
Esta verdade é assegurada
Através das escuras eras passadas.
Apesar da perseguição ela vai durar.
E eu vou me segurar firmemente
Neste credo.

Creio que Ele enviou o Seu Espírito, para confortar e para revelar,
Para levar-nos à verdade e à luz, para batizar e selar.
Acredito que Ele vai voltar da maneira como Ele foi embora
E acolher-nos para Si; mas ninguém conhece aquele dia.

Este é o meu credo,
O testemunho que tenho ouvido,
A fé que tem permanecido.
Esta verdade é assegurada
Através das escuras eras passadas.
Apesar da perseguição ela vai durar.
E eu vou me segurar firmemente
Neste credo.

Creio que Ele é o juiz de todas as coisas, grandes e pequenas.
As almas dos homens ressuscitados recebem dEle o seu destino;
Alguns para a morte e alguns para a vida; alguns para a sua recompensa;
Alguns para cantar louvor eterno, para sempre, ao Senhor.

E, através das escuras eras passadas,
Apesar da perseguição ela vai durar.
E eu vou me segurar firmemente
Neste credo.

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.