Angela Natel On domingo, 5 de junho de 2011 At 06:35

When it comes to undermining the truth, false teachers are more dangerous than Richard Dawkins. I mean who would ever believe that an angel of light is really the devil (2 Cor. 11:13-14)? Amazing what can be done with a little camoflage, and amazing what can be done to a naive audience.

Here is a pastorally astute observation from Millard Erickson:
"...it is important that evangelicals ask not only for the formulas of belief but for the actual content of those formulas or expressions.

Sometimes lay persons are so conditioned to respond to particular expressions to which an emotional conditioning has been attached that they fail to determine the real meaning.
In a day in which meaning is thought by some to reside, not objectively in the words and expressions themselves, but in the person who receives them so that its meaning is what it means to the recipient, this concern is especially appropriate."
Millard Erickson, The Evangelical Left, p. 6

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.