Angela Natel On terça-feira, 7 de junho de 2011 At 06:40


We meet it most [a general ecumenical outlook] in the form of an all-pervasive climate of opinion which dislikes anything that is really distinctive in doctrine or in life, which demands, indeed, ever less emphasis on doctrine, on definition, or on ethical principle.

Never was a time when polemics in any form was at such a discount. There have been periods in history when the preservation of the very life of the church depended upon the capacity and readiness of certain great leaders to differentiate truth from error and boldly to hold fast to the good and to reject the false; but our generation does not like anything of the kind. It is against any clear and precise demarcation of truth and error.
Those words have such a contemporary feel to them it is hard to believe that they were first spoken in 1952. If anything the accommodation of this way of thinking has been even greater in the twenty eight years since Dr. Lloyd-Jones' death. His words do at least capture something of the mindset that is acceptable among many evangelicals.

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.