Angela Natel On quarta-feira, 25 de maio de 2011 At 06:09

More from the Westminster Larger Catechism:

Question 111: Which is the third commandment?

Answer: The third commandment is, Thou shalt not take the name of the Lord thy God in vain: for the Lord will not hold him guiltless that takes his name in vain.

Question 113: What are the sins forbidden in the third commandment?

Answer: The sins forbidden in the third commandment are, the not using of God's name as is required; and the abuse of it in an ignorant, vain, irreverent, profane, superstitious, or wicked mentioning, or otherwise using his titles, attributes, ordinances, or works, by blasphemy, perjury; all sinful cursings, oaths, vows, and lots; violating of our oaths and vows, if lawful; and fulfilling them, if of things unlawful; murmuring and quarreling at, curious prying into, and misapplying of God's decrees and providences; misinterpreting, misapplying, or any way perverting the Word, or any part of it, to profane jests, curious or unprofitable questions, vain janglings, or the maintaining of false doctrines; abusing it, the creatures, or anything contained under the name of God, to charms, or sinful lusts and practices; the maligning, scorning, reviling, or anywise opposing of God's truth, grace, and ways; making profession of religion in hypocrisy, or for sinister ends; being ashamed of it, or a shame to it, by unconformable, unwise, unfruitful, and offensive walking, or backsliding from it.


http://against-heresies.blogspot.com/2007/09/false-doctrines-take-gods-name-in-vain.html

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.