Angela Natel On quinta-feira, 3 de março de 2011 At 06:41

Por André Sanchez

Quando um carro está transitando por uma avenida e o motorista decide que precisa mudar a direção em que está seguindo, faz uma manobra que tem o nome de conversão. Ele muda de rota, a rota em que andava já ficou para trás; agora ele vê uma nova avenida, com novas coisas, com nova decoração, com um asfalto diferente, com novos atributos.

Conversão significa mudar de direção. Sem Deus todos os homens, sem exceção, estão transitando por uma avenida que os levará diretamente à perdição. Por melhores que as pessoas possam ser, o pecado está enraizado em suas vidas e conduzindo-as através de uma avenida que vai levá-las à morte eterna (que é a separação de Deus por toda a eternidade).

A conversão é quando há uma mudança dessa direção terrível, que leva à morte, para a direção dada por Deus, que leva à vida. Essa mudança acontece pela atuação de Deus no coração da pessoa. Os principais sinais dessa mudança de direção são o arrependimento e a busca de mudança de vida baseada na vontade de Deus contida na Bíblia. Quando alguém vira um convertido, ganha a salvação, não está mais na velha avenida da perdição, mas em uma nova avenida que leva diretamente ao Senhor.

Paulo orientou os efésios a respeito do que haveria de fazer parte da vida de quem mudou de direção. Observe o contraste entre a “avenida antiga” e a “nova avenida”:

“Portanto, abandonem a velha natureza de vocês, que fazia com que vocês vivessem uma vida de pecados e que estava sendo destruída pelos seus desejos enganosos (...) Vistam-se com a nova natureza, criada por Deus, que é parecida com a sua própria natureza e que se mostra na vida verdadeira, a qual é correta e dedicada a ele. Por isso não mintam mais. Que cada um diga a verdade para o seu irmão na fé, pois todos nós somos membros do corpo de Cristo! (...) Quem roubava que não roube mais, porém comece a trabalhar a fim de viver honestamente e poder ajudar os pobres. Não digam palavras que fazem mal aos outros, mas usem apenas palavras boas...” (Ef 4. 22, 24, 28, 29 - NTLH)

A conversão provoca mudanças visíveis na vida de uma pessoa. Não significa que imediatamente a pessoa se transformará em um perfeito, pois ninguém chegará nesse nível aqui nesta terra. O processo que ocorre após a conversão é gradual, ou seja, dia após dia, a pessoa em obediência a Deus, vai vencendo tudo que carregou da “antiga avenida” e vai construindo em cooperação com Deus uma “avenida” totalmente nova. Esse processo chama-se santificação.

1 comentários:

Marcia Regina De Souza disse...

Estou nessa conversao espero so em Deus jesus maria jose seus santos que me guiem

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.