Angela Natel On quarta-feira, 26 de janeiro de 2011 At 12:04


É consenso entre especialistas que o conhecimento dos originais bíblicos colabora para uma melhor compreensão do Texto Sagrado. Atendendo demanda, a Faculdade Evangélica de Tecnologia, Ciência e Biotecnologia da CGADB (FAECAD) acaba de lançar o curso livre de hebraico instrumental. Os encontros serão realizados uma vez por semana a partir do dia 02 de fevereiro, sob orientação do professor Wallace Anderson, de larga experiência no ensino do idioma.

Segundo ementa da instituição, o objetivo do curso é ler, entender e traduzir textos do Antigo Testamento; e preparar sermões e estudos a partir do texto hebraico original. O conteúdo será dividido nos níveis básico, médio e avançado.
O estágio inicial de aprendizado da língua abordará breve histórico do hebraico enquanto língua semita; leitura do Antigo Testamento no original através da alfabetização; introdução às noções básicas da gramática hebraica. Leitura, compreensão e interpretação do texto bíblico do Antigo Testamento. O estudo avançado, por sua vez, fará abordagem dos verbos fracos e fortes da língua hebraica; diagnóstico, leitura e tradução dos textos bíblicos do Antigo Testamento.

Serviço:

A FAECAD está localizada Avenida Vicente de Carvalho, 1083, Vila da Penha - Rio de Janeiro – RJ. Os interessados podem entrar em contato pelo telefone (21)3015-1000, ou pelo e-mail faecad@faecad.com.br


Fonte: Faecad

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.