Angela Natel On segunda-feira, 11 de outubro de 2010 At 06:49



Grita na rua a Sabedoria, nas praças, levanta a voz; do alto dos muros clama, à entrada das portas e nas cidades profere as suas palavras: Até quando, ó néscios, amareis a necidade? E vós escarnecedores, desejais o escárnio? E vós, loucos, aborrecereio conhecimento?” Provérbios 1 de 20-22.

“Eu, porém, não vos pude falar como espirituais, e sim como carnais, como a crianças em Cristo. Leite vos dei a beber, não vos dei alimento sólido; porque ainda não podíeis suportá-lo. Nem ainda agora podeis, porque ainda sois carnais.” I Coríntios 3. 1 e 2.

Ultimamente tem me assustado muito como a pós-modernidade tem avançado sobre nossas igrejas e é com muito pesar que eu tenho visto irmãos próximos, os quais eu amo, reproduzindo sem perceber diversos preceitos que não tem nenhum apoio nas escrituras sagradas.

E o problema que eu quero apontar hoje esta justamente aí: no relacionamento dos cristãos atuais com a escritura sagrada.

Infelizmente hoje em dia tem sido comum ouvir cristãos afirmando que a única coisa que eles realmente precisam é de crer que Jesus o salvou e que um dia voltará. Esta é a perspectiva de cristãos que ainda não entenderam que a vida eterna e abundante em Cristo já começou! Irmãos que infelizmente, amam tanto esse mundo que se furtam de caminhar com Deus e conhecê-lo já, aqui mesmo nesse mundo.

Essas pessoas, geralmente, se gabam desse tipo de atitude e interpretam seu total desinteresse pela bíblia como travestido de uma imensa demonstração de fé! Em sua tolice espiritual afirmam:

“veja só pastor, este ensino é muito complexo, a minha fé é muito grande, eu só preciso saber que Jesus veio e voltará.”

De fato, essas pessoas se pensam tão espirituais que se legam o direito de discutir com Deus o que ele deveria ou não revelar aos homens através de sua palavra!

Já tive a infelicidade de ouvir irmãos com meu tempo de vida em vida cristã dizendo absurdos como: “não sei pra que Deus pôs o apocalipse na bíblia, só pra passar medo na gente!”

Note que a imaturidade espiritual dessas pessoas alcança níveis inimagináveis! Por acaso agora os homens aconselham o Espírito Santo de Deus sobre que livros Ele deveria ter acrescentado ao Canon bíblico. Sinceramente, é de doer os ouvidos.

O que também é interessante de se perceber sobre estes cristãos é que eles tem a si mesmos como bastante sábios, apesar de rejeitarem constantemente toda espécie de ensino e ferramenta de ensino dadas a nós pela misericórdia de Deus.

A palavra de Deus diz em Provérbios que o temor do Senhor é o princípio de toda Sabedoria. Como temer a Deus verdadeiramente se não o conhecemos?! Se desprezamos o pouco de sua infinitude revelada a nós em Sua palavra?!

Deus se revela a nós também através de experiências e sabemos disso por que a Bíblia nos revela. O que eu estou dizendo é que você pode esperar a sua vida inteira para ter uma experiência com Deus e aprender alguma coisa sobre Ele ou, você pode se debruçar sobre a sua palavra nesse mesmo instante e aprender uma série de coisas sobre Deus e mesmo como ele se relaciona com os homens!

Hoje em dia as igrejas estão abarrotadas de pessoas que adoram o deus desconhecido, como os gregos encontrados por Paulo no Areópago de Atenas. Sim, adoram um deus desconhecido.

Paul Wisher, um dos maiores pregadores contemporâneos, testemunhou em uma de suas recentes preleções que quando é convidado a falar sobre os atributos de Deus em igrejas recusa o convite. Você assim como eu deve estar se perguntado: “Mas como pode ser isso?! Como um pregador tem se recusado a pregar sobre os atributos de Deus?!” Paul diz que todas as vezes que começa a pregar sobre os atributos de Deus em uma igreja, vários irmão se levantam e gritam enraivecidos: “Este não é o Deus em que eu creio!!!”

O Deus em que esses irmãos creem não é o mesmo Deus que o pastor Paul Wisher prega, por um simples motivo: o Deus pregado pelo pastor Paul é o que se revelou na bíblia e o que estas pessoas creem foi inventado por elas mesmas em seu desprezo pela palavra de Deus e em sua supervalorização de suas experiências pessoais.

Me caro ouvinte lembre-se sempre disso: As suas experiências sobrenaturais com Deus serão sempre pautadas e confirmadas pela revelação da escritura sagrada, mas a suas experiências sobrenaturais jamais serão pauta e crivo para a revelação de Deus, sua santa palavra! Paulo diz aos Gálatas que se descerem anjos do céu pregando mensagem diferente do que nos foi revelado pela escritura que seja anátema, quanto mais dar ouvidos à homens.

Nesse assunto todo, o que mais me incomoda mesmo é o fato destas pessoas ainda se valerem de textos bíblicos para justificarem seu posicionamento. É obvio que os textos são tirados de seu contexto! Ou por acaso a bíblia incentivaria seu próprio desuso?! Taís atitudes Não fazem o menor sentido.

Alegam textos como o de Paulo aos Coríntios que diz que não deve haver divisão entre nós cristãos. O texto de fato existe, esta em primeiro aos coríntios logo no primeiro capítulo. Mas precisamos fazer algumas considerações e a primeira delas diz respeito ao famoso “lá então.”

Não é segredo para ninguém que a igreja de Corínto era problemática e se os coríntos se posicionavam uns com Paulo e outros com Apolo isso é sinônimo de imaturidade, como afirma o próprio Paulo, autor da carta. Agora generalizar um problema da igreja de Corínto e ainda usá-lo como desculpa para não estudar e discutir a palavra de Deus é um absurdo pra não dizer coisa pior!

Em segundo lugar devemos considerar um problema latente do Brasileiro: o brasileiro é um povo cabeça-dura e que leva tudo para o lado pessoal. A verdade é que nós não sabemos discutir e admitir pensamentos diferentes do nosso. Transformamos assim uma deficiência nossa em um empecilho para o estudo e discussão da palavra de Deus. E como nós temos perdido com isso!

O brasileiro quer ser abençoado pelo dom de hospitalidade, pelo dom de aconselhamento, pelo dom de profecia, mas tem extrema dificuldades em ser abençoado pelo dom de ensino! Por que será que é tão difícil assim admitir que existem pessoas que conhecem mais a palavra do que nós e nos sujeitarmos ao bom ensino?! Acaso não foi o Espírito de Deus que delegou os dons?!

Por favor, não me subverta, vocês estão entendendo o que eu estou falando. Não estou convocando ninguém ao academicismo, ao estudo da bíblia como se esta fosse um livro de princípios morais. Vocês me conhecem e sabem que não se trata disto. Eu creio que a bíblia é manual de fé e prática, palavra de Deus que contem uma revelação sobrenatural ao homem, a saber a salvação em Cristo Jesus. Nem estou convocando todos a abandonarem seus cursos e profissões e virarem teólogos. Mas estou convocando você a maturidade cristã e ao estudo compromissado da palavra de Deus tendo como guia o Santo Espírito e os homens que ele inspirou e deu dom de ensino bem como seus escritos, que como benção de Deus chegaram até nós.

E assim vai caminhando a igreja brasileira, cheia de irmãos, que infelizmente, escolheram ser imaturos, que por mais incrível que pareça estão satisfeitos em beber leite, contrariando toda sorte de passagem bíblica que nos exorta ao crescimento espiritual e ainda por cima crendo que isto seja a vontade de Deus para a vida do cristão.


http://argumentosbrejeiros.blogspot.com/

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.