Angela Natel On segunda-feira, 31 de maio de 2010 At 06:06

Digão


Então foi conduzido o famoso pastor evangélico pelo Espírito aodeserto, para ser tentado pelo diabo. E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome. Chegando, então, o tentador, disse-lhe: se tu és ministro do Evangelho de Deus manda que estas pedras se tornem em pães. Mas o famoso pastor evangélico lhe respondeu: Está escrito: nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus.

Então o diabo o levou à cidade santa, colocou-o sobre o pináculo do templo, e disse-lhe: Se tu és ministro do Evangelho de Deus, lança-te daqui abaixo; porque está escrito: aos seus anjos dará ordens a teu respeito; e: eles te susterão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra. Replicou-lhe o famoso pastor evangélico: também está escrito: não tentarás o Senhor teu Deus.

Novamente o diabo o levou a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles; e disse-lhe: tudo isto te darei, se, prostrado, me adorares.

Depois de muito pensar, já cansado daquele deserto, daquela gente da igreja só trazendo problemas, das fofocas, da falta de dinheiro, da falta de reconhecimento de seus diplomas de teologia, psicologia, administração e nutrição, pensou bem, passou gel no cabelo, arrumou bem os óculos, fez cara de compenetrado, arrancou o bigode e disse: o jatinho, o horário na TV, o haras no interior de São Paulo, a empresa de televendas e a mansão em Boca Raton estão incluídos no negócio?


Digão não se sente no deserto aqui no Genizah


http://www.genizahvirtual.com/



Angela Natel On domingo, 30 de maio de 2010 At 06:01
Por Leonardo Gonçalves

C
aro amigo,

Estamos bem próximos das eleições, e como você já deve saber, algumas igrejas evangélicas (e também católicas ou de outras vertentes) têm como costume ceder o púlpito para candidatos discursarem. Toda véspera de eleição é comum ver o altar se transformar em palanque e as portas dos templos se abrindo para toda classe de charlatanismo.

Acontece que esta prática, além de medíocre, também é criminosa. Segundo a Lei 9.504/97 e de acordo com o artigo 13 da resolução 22.718/2008, do Tribunal Superior Eleitoral, fica proibida toda e qualquer propaganda eleitoral dentro de templo. A lei entende que os templos são espaços de acesso comum e não devem ser usados como palanques eleitorais.

Sendo assim, se você notar que estão usando sua igreja como curral eleitoral, DENUNCIE. Precisamos dar um basta nessa politicagem dentro dos templos. Igreja é lugar de louvar a Deus!

Distribuir santinhos, fazer o púlpito de palanque eleitoral e colocar cabresto no eleitor é uma atitude criminosa.

Para denunciar a politicagem na sua igreja, basta procurar a delegacia ou o cartório eleitoral.

Vamos acabar com essa palhaçada!


bjometwitta =)

http://www.pulpitocristao.com/
Angela Natel On sábado, 29 de maio de 2010 At 06:36
Resolvi fazer uma lista de coisas nas quais não creio, uma espécie de não-credo, de declaração de falta de fé, ausência total de comprometimento com as tais, são elas:

Não creio na fé sem amor: não é fé, mas apenas discurso religioso adoecedor.

Não creio na teologia sem amor: não é teologia, mas apenas acúmulo de informação religiosa neurotizante.

Não creio na igreja sem amor: não é igreja, mas apenas ajuntamento de pessoas sob a pseudo aura do "sagrado".

Não creio no ministério sem amor: não é ministério, mas apenas serviço burocrático de indivíduos com mania de divindade exibicionista.

Não creio nas profetadas e suas bizarrices batizadas de "santidade":
não são profecias, mas apenas o ridículo disfarçado de unção.

Não creio nas bênçãos dos profetas da prosperidade: não são bênçãos, porque só quem abençoa é Deus e Ele não compra minha fé.

Não creio nas maldições dos profetas da Al Qaeda divina: não são maldições, são apenas um revanchismo sagrado movido a vingancinhas medíocres.

Não creio em qualquer um...

Não creio em milagre todo dia:
milagre não é rotina, se assim for já não é milagre.
Não creio em gente que cai no "espírito" mas não consegue andar no Espírito.

Não creio em línguas esquisitas quando a mesma língua ainda não foi transformada pelo Espírito da Palavra.

Não creio em "massagens de púlpito", mas em Mensagens do céu!

Não creio em encontros de casais erotizados e vulgares, produtos envergonhados de uma importação da mídia em sua sensualidade abusiva, prefiro encontros de casais que promovam o redescobrir do encanto...

Não creio numa série de outras coisas... mas como dizia Kierkegaard, "Com a ajuda do espinho em meu pé, salto muito mais alto".

Até mais...

Alan Brizotti
Fonte: [ Blog do autor ]

http://bereianos.blogspot.com/2010/05/minha-declaracao-de-nao-fe.html

Angela Natel On sexta-feira, 28 de maio de 2010 At 06:23
Angela Natel On quinta-feira, 27 de maio de 2010 At 06:59
Desenvolvido por Nani Rezende em http://nanieateologia.blogspot.com/

Angela Natel On quarta-feira, 26 de maio de 2010 At 06:14
Caros Irmãos,

De 3 a 6 de junho de 2010 a Atuação Voluntária realizará o VIII Projeto Ide, que acontecerá na comunidade de Curralinho, em São José dos Pinhais, Paraná.
Angela Natel On terça-feira, 25 de maio de 2010 At 06:44
De Lausanne à cidade do Cabo – Caminhos, Descaminhos e Novos Desafios para a Missão Integral no Brasil. Este é o tema da consulta anual da Fraternidade Teológica Latino-americana – Brasil (FTL). O objetivo da consulta é “fazer uma releitura da caminhada da Teologia da Missão Integral, visando construir e renovar caminhos para a reflexão teológica e ação pastoral”. Haverá meditações bíblicas, conferências, apresentação de trabalhos acadêmicos, testemunhos, debates e um festival de artes. O evento será realizado na Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro, de 03 a 05 de junho.

Informações: secretaria@ftl.org.br

Além dos membros da FTL-Brasil, também estarão presentes na consulta os brasileiros que irão ao Congresso de Evangelização Mundial Cidade do Cabo 2010, organizado pelo Comitê Lausanne.

Angela Natel On segunda-feira, 24 de maio de 2010 At 06:39

Sempre que aparece uma novidade na nossa vida temos a tendência a ficarmos eufóricos, animados, pensando no novo por alguns dias. Lembro que quando ganhava um brinquedo que queria muito ficava radiante. Andava com ele pra lá e pra cá, mostrava a todos os meus amigos. Não conseguia conter minha empolgação. Algumas semanas depois, já não brincava todos os dias com ele e, depois de alguns meses parava totalmente. Outros brinquedos ganhava e aquele ficava no esquecimento.

Sempre aparece algo novo na vida, afinal ela é bem dinâmica. Na vida cristã temos um alvo: Cristo. Por amá-lo queremos ser como Ele. Mas a “dinamicidade” da vida acaba, algumas vezes, nos tirando do foco do que é realmente importante: amá-lo e servi-lo de corpo e alma. Consequentemente, esquecemo-nos das coisas com as quais nos comprometemos em seu Reino.

A campanha WALK IN THEIR SHOES foi lançada no dia 30 de setembro. Não tem nem três meses e já conseguimos atingir nossa primeira meta: apoiar jovens cristãos universitários no Egito. Eu realmente fiquei maravilhada com a quantidade de pessoas que participaram. Mas não acabamos por aqui, outros jovens serão abençoados em outros projetos (em breve os divulgaremos). Minha “preocupação” é: será que todos aqueles que começaram irão continuar?

Para milhares de cristãos perseguidos a perseguição não para! E pra você também não pode parar!

Exercite WALK IN THEIR SHOES!


Confira mais detalhes no blog:

http://witsug.wordpress.com/


Angela Natel On domingo, 23 de maio de 2010 At 06:43
Angela Natel On sábado, 22 de maio de 2010 At 06:16

EDUCAÇÃO TEOLÓGICA DE QUALIDADE, PORÉM ACESSÍVEL
O SETEB Online existe há 10 anos e sempre com o mesmo compromisso: proporcionar uma educação teológica de qualidade de forma acessível. Assim, tendo a missão cristã de capacitar e equipar o povo de Deus para o ministério cristão, o SETEB está facilitando ainda mais o acesso à educação teológica de qualidade por OFERECER BOLSAS PARCIAIS DE ESTUDO em parceria com igrejas patrocinadoras.

FACILIDADE PARA ESTUDAR: PELA INTERNET
Através de nosso sistema online você poderá estudar virtualmente em qualquer lugar onde tiver acesso a um computador com Internet (casa, escritório, escola, lan house, biblioteca pública, cybercafé, etc).

DIVERSAS OPÇÕES DE ESTUDO
O SETEB Online oferece cursos livres eclesiásticos de bacharelado normal (duração mínima de 2 anos) e de bacharelado intensivo (duração mínima de 3 meses), além de mestrados (duração mínima de 6 meses) e doutorados (duração mínima de 12 meses). Veja ao lado a lista dos cursos oferecidos!

MAIS VANTAGENS PARA QUEM ESTUDA CONOSCO

  • Excelente educação teológica.
  • Material de fácil acesso disponibilizado 24 horas por dia na Internet
  • Você estuda no horário que quiser ou puder.
  • Disponibilidade de um facilitador para tirar suas dúvidas.
  • Aproveitamento de disciplinas concluídas em outras instituições.
  • Bolsa de estudo parcial - você só paga a taxa de matrícula!

MATRÍCULA

Solicite a sua matrícula, efetue o pagamento até
26-04-2010 e pague somente:

Básico em Teologia = R$ 20 (economia de R$ 10 em relação ao valor normal de R$ 30)
Médio em teologia = R$ 30 (economia de R$ 10 em relação ao valor normal de R$ 50)
Bacharelado Regular Online = R$ 70 (economia de R$ 410 em relação ao valor normal de R$ 480)
Bacharelado Intensivo Online = R$ 100 ((economia de R$ 200 em relação ao valor normal de R$ 300)
Mestrados = R$ 120 (economia de R$ 180 em relação ao valor normal de R$ 300)
Doutorados = R$ 120 (economia de R$ 180 em relação ao valor normal de R$ 300)

* Não há valores promocionais para a Integralização ou para o Bacharelado Regular + Integralização.

Ao solicitar a sua matrícula, informe o código promocional ULTCHA

Para matricular-se, acesse www.seminarioevangelico.com.br/matricula

MAIORES INFORMAÇÕES

Para saber mais sobre os cursos, acesse:www.seminarioevangelico.com.br


CURSOS LIVRES:

Básico em Teologia
Médio em Teologia
Bacharelado em Teologia
(Online-Regular)
Bacharelado em Teologia
(Online-Intensivo)
Mestrado em Teologia
Doutorado em Teologia

Obs.: À exceção do básico e do médio, os demais cursos oferecem habilitação nas seguintes áreas:
Aconselhamento Cristão
Educação Cristã
Filosofia Cristã
Ministério
Teologia
Administração Eclesiástica
Teologia Exegética
Missiologia
Divindade (Apenas mestrado e doutorado).



Integralização de Créditos
Opção para quem já possui um diploma livre de bacharel em teologia e deseja obter um diploma reconhecido pelo MEC.


Bacharelado em Teologia + Integralização
Economize tempo e dinheiro começando om nosso curso livre e continuando conosco na Integralização de créditos.


Angela Natel On sexta-feira, 21 de maio de 2010 At 06:15
Ministérios RBC coloca a disposição de igrejas, lideranças uma excelente ferramenta de evangelição. O livreto A Jogada Perfeita com testemunho, trivias sobre futebol e devocional para cada dia da copa 2010.

Os recursos estão a disposição ao preço de custo R$ 0,30 o livreto de 64 paginas e R$ 0,10 o folheto.

Em Cristo,

Edilson Freitas
Diretor Ministerios RBC.
Angela Natel On quinta-feira, 20 de maio de 2010 At 06:52
Angela Natel On quarta-feira, 19 de maio de 2010 At 06:33


Questão: "Crente pode fazer tatuagem?"


Resposta do Herege (Rev. Digão):


Uma pergunta que sempre fazem a mim é a seguinte: “pastô, pó fazê tatuági?” Tem horas que dá vontade de responder: “não dá, não sou tatuador, não tenho a maquininha, e nem sei desenhar a Hello Kitty!”

Brincadeiras à parte, muitos crentes ficam se perguntando se é plausível um cristão usar tatuagem. Usam alguns versículos para embasar sua argumentação. Basicamente dois:

Lv 19:28: Não fareis lacerações na vossa carne pelos mortos; nem no vosso corpo imprimireis qualquer marca. Eu sou o Senhor.

1Co 6:19: Ou não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que habita em vós, o qual possuís da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos?

Infelizmente temos o péssimo hábito de ler textos bíblicos de maneira isolada, sem conhecer o devido contexto. Não há nada nesses textos acima que indiquem uma proibição explícita a tatuagens.

Quando Moisés estava escrevendo Levítico, lembrou-se que, no meio dos povos pagãos em redor de Israel, era costume fazer marcações nos corpos em honra a seus mortos. O texto de Lv 19 deve ser lido em todo o conjunto, pois indica uma série de atitudes culturais próprias do paganismo, e não uma proibição da tatuagem por si só. Não é engraçado que ninguém ainda tenha se levantado para dizer que também é pecado os homens barbados apararem a barba, baseados em Lv 19.27, um versículo imediatamente anterior? Essa seletividade de pecados é tããão engraçada...

Já o texto de 1Co 6 não faz alusão a pretensas tatuagens, mas sim à prostituição. No contexto, entendemos que a cidade de Corinto era muito licenciosa. Era uma cidade portuária, com grande movimentação de estrangeiros, que buscavam “diversão adulta” nas horas vagas. Era também uma cidade conhecida por seu templo a Afrodite, com sua prostituição cultual. A coisa era tão braba que algumas prostitutas cultuais se convertiam, mas continuavam com sua aparência “profissional” anterior, ou seja, com a cabeça raspada, símbolo de dedicação a Afrodite. É por isso que, no cap. 11, Paulo fala sobre o véu e a confusão que se formava na igreja. Mas isso é outra conversa. O que interessa aqui, no cap. 6, é que Paulo não falava de um ato estético em si, mas sim atacava o comportamento pecaminoso expresso na prostituição de alguns crentes de Corinto. Paulo é ainda mais explícito no v. 15: Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei pois os membros de Cristo, e os farei membros de uma meretriz? De modo nenhum!

Portanto, o que Paulo e Moisés combatiam não era uma mera questão estética, e sim uma questão espiritual: nosso compromisso com Deus. Ambos os textos atacam, à sua maneira, nosso grau de comprometimento com Deus. Seja praticando coisas próprias dos pagãos (quem se lembra de rosas ungidas ou vales do sal?), seja na licenciosidade moral (onde “irmãs” sonham em ser capa da Playboy), o terrível problema a ser combatido não é um bocado de tinta injetado debaixo da pele. Combater tatuagem é, no meu entender, apenas uma cortina de fumaça. O que deve ser combatido, com todas as forças, é a superficialidade de nossa relação com Deus, que tanto envergonha o nome do Evangelho. Para isso, somente com a “tatuagem” do caráter de Cristo em nossos corações, somente com o lavar regenerador do Espírito (Tt 3.5). Em suma, não se preocupe com tatuagem, brincos, piercings ou coisas passageiras. Focalize sua energia, isso sim, em ser sal da terra, luz do mundo e testemunha viva do Rei vivo. Com ou sem tatoo.

Rev. Digão é pastor prebiteriano e membro da gangue do Genizah

http://www.genizahvirtual.com/#


Angela Natel On terça-feira, 18 de maio de 2010 At 06:40

Autor: Hermes C. Fernandes


Que gemidos são esses que ouço?
De onde vem tanta tristeza?
Não vem de algum calabouço.
Vem da irmã natureza.

Em qualquer lugar do planeta,
pode-se ouvir seu choro
E até um remoto cometa,
une sua voz ao coro:

Até quando terei que conviver
Com este vírus tão duro e cruel?
Se minha sina é pra sempre sofrer
Que a terra se queime, e só reste o céu

A humanidade sem Deus é um vírus letal
Onde chega se espalha e destrói,
Sua ganância é qual ferrugem no metal
Fogo que queima a palha, como dói.

Não posso assistir calada
Enquanto o vírus se prolifera
Quem disse que não é minha alçada?
Alguém tem que domar esta fera

O mundo precisa de cura
Onde encontrar a vacina?
A boa nova simples, pura
Já não se encontra em qualquer esquina
Angela Natel On segunda-feira, 17 de maio de 2010 At 06:19

Angela Natel On domingo, 16 de maio de 2010 At 06:08

O evangelho integral para o homem na sua integralidade

Por Cácio Silva


Jesus nasceu em Belém da Judeia, cumprindo assim a profecia de Miqueias, entretanto, foi criado em Nazaré e fixou residência em Cafarnaum, ambas cidades da Galileia. Iniciou o seu ministério em Caná da Galileia e encerrou em um certo monte da Galileia. Mais da metade do seu ministério foi desenvolvido na Galileia e dos seus doze discípulos, onze eram daquela região. O único da Judeia era Judas, aquele que o traiu, cujo sobrenome, “Iscariotes”, significa “homem de Keriote”, uma pequena cidade ao sul de Hebrom. Seria isto uma mera coincidência? Seria por falta de opção ou porque as famílias de José e Maria eram dali?

Nos tempos do Novo Testamento, Israel era dividido em três regiões principais. No centro estava Samaria, habitada por um povo miscigenado (de raça mista) e sincretista (de religião misturada), odiado pelos judeus. No sul estava a Judeia, região nobre, onde ficava o templo, o sinédrio, os principais mestres da lei, as melhores faculdades, as pessoas mais ricas e influentes. Ali estava Jerusalém, onde aconteciam as concorridas festas judaicas, e outras influentes cidades como Jericó, Hebrom e Cesareia. No norte estava a Galileia, região dos pobres, iletrados, menos privilegiados, simples pescadores, trabalhadores braçais, gente desprezada e menosprezada, marginalizada e motivo de chacota para os importantes habitantes do sul. É por isto que quando alguém mencionou que Jesus era da Galileia os líderes religiosos logo retrucaram: “Da Galileia não se levanta profeta”. Natanael também questionou: “De Nazaré pode sair alguma coisa boa?” (Jo 1.46)

David Bosch, o conhecido missiólogo sul-africano, chama-nos a atenção para a ênfase dada por Lucas ao ministério de Jesus entre os carentes. Para ele, o paradigma missionário de Lucas é “a prática de perdão e a solidariedade com os pobres”. Em Lucas 4.18-19 Jesus se levanta em uma sinagoga da Galileia e proclama em alto e bom tom: “O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor” (LC 4.18). Observe as classes que Ele cita: pobres, cativos, cegos e oprimidos. O Mestre

da Galileia estava citando Isaías 61.1-2 e parte do 58.6. O “ano aceitável do Senhor” neste texto refere-se ao “ano do jubileu”, de Levítico 25. Tratava-se de uma lei estipulada por Deus, que contemplava principalmente os pobres de Israel. Era observada a cada quarenta e nove anos, quando três coisas aconteciam: 1) todos os escravos judeus eram libertos; 2) todas as dívidas eram perdoadas; e 3) toda a terra descansava da semeadura naquele ano. Cristo estava dizendo que o seu ministério contemplava de forma especial os carentes.

Creio, portanto, que a dedicação de Jesus aos carentes da Galileia não foi por acaso. Como escreveu o missiólogo equatoriano René Padilla, ele fez opção pela Galileia. Viveu ali deliberadamente. O porto-riquenho Orlando Costas, considerado o primeiro missiólogo latino-americano, chama Jesus de o “evangelista da periferia”. Mas, às vezes, o Cristo que pregamos parece mais um alto executivo metropolitano do que “um homem de dores e experimentado no sofrimento”. Até que ponto temos seguido o seu exemplo dele?

[Continua]

Cácio Silva é pastor presbiteriano e missionário da Missão AMEM/Projeto Amanajé, juntamente com sua esposa Elisângela, entre indígenas na Amazônia

Angela Natel On sábado, 15 de maio de 2010 At 06:42

Em muitas passagens no Novo Testamento o crente é instruído a não pecar. A implicação é que o pecado terá um efeito negativo em sua vida. As Escrituras deixam claro que o crente não está debaixo da Lei no que concerne à salvação. Entretanto, o critério moral apresentado pelo Novo Testamento é basicamente o mesmo que a Lei. Os critérios morais de Deus não mudaram; somente os requisitos de Deus para a nossa salvação.

O reino espiritual está à nossa volta, mas não somos capazes de acessá-lo. Nossos cinco sentidos não propiciam nenhum contato com o reino espiritual. Somos totalmente dependentes do Senhor para todo o nosso conhecimento nessa área. O reino espiritual já existia antes de o reino natural ser criado e é mais real que o reino físico em que vivemos.

Para compreender o significado do pecado, precisamos observar seus efeitos no reino espiritual. Lidamos com as coisas espirituals com base nas informações que o Senhor nos dá. Além das palavras que o Espírito Santo nos dá diretamente a nós, a única outra fonte autorizada são as Escrituras. Todas as informações que são fornecidas pelo Espírito Santo estarão de acordo com as Escrituras, e todas as informações recebidas "espiritualmente" precisam ser julgadas de acordo com as Escrituras antes de serem aceitas. O crente tem uma posição, fornecida por Deus, no reino de Deus. Essa é uma posição "legal" que é uma posição de perfeita justiça por meio de Cristo, e garante a salvação. Isso não é o mesmo que a condição do crente no reino natural. As Escrituras indicam claramente que existem fatores no reino natural que afetam nossa condição.

Nossa condição é afetada pela nossa conduta. É também afetada por nossa capacidade de nos apropriarmos da aliança e da promessa de Deus de nos ajudar. Deus oferece nossa posição e o homem controla seu estado; não, entretanto, por sua própria força, mas com o Espírito Santo. Essa posição espiritual e nossa condição presente estão envolvidas é expressas em muitas passagens nas Escrituras:

"Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito... 4) Para que a justiça da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito... 10) E, se Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espirito vive por causa da justiça." [Romanos 8:1,4,10].

"Porventura o nosso pai Abraão não foi justificado pelas obras, quando ofereceu sobre o altar o seu filho Isaque?... E cumpriu-se a Escritura, que diz: E creu Abraão em Deus, e foi-lhe isso imputado como justiça, e foi chamado o amigo de Deus." [Tiago 2:21-23].

"Filhinhos, ninguém vos engane. Quem pratica a justiça é justo, assim como ele é justo." [1 João 3:7].

Nesses versos, bem como em muitos outros, há uma clara indicação que existe uma posição espiritual e uma condição natural envolvidas. Tentar igualar as duas torna o conteúdo desses versos contraditórios. Se nossa posição espiritual garante nossa salvação, qual então é o significado da nossa condição no reino natural? Em Romanos 8:1 há uma clara indicação que seguir as inclinações da carne traz condenação. No entanto, é claro nas Escrituras que, por meio de Cristo, o crente tem uma posição de justiça no reino de Deus. Assim, as conseqüências para o crente seguir a carne precisam referir-se à carne e não à salvação.

Se a condenação não for contra nossa posição espiritual, precisa então estar relacionada com a nossa condição. Isto é, a condenação pode ser contra nós no mundo natural, embora não se refira à nossa posição com Deus. Se não se relaciona com nossa posição diante de Deus, então segue-se que é Satanás quem traz condenação contra nós no mundo natural.

A maldição da lei, no Antigo Testamento, dava a Satanás acesso contra aquele que pecava.

Romanos 8:4 diz claramente que a lei funciona de acordo com a conduta. Assim, podemos ainda trazer a maldição da lei sobre nós por meio do pecado, e embora a lei não se aplique mais para a salvação, o critério moral expresso nela ainda tem efeito na nossa condição no reino natural.

Romanos 8:10 indica que o corpo pode estar "morto" ao mesmo tempo em que o espírito está vivo, se houver pecado na vida da pessoa. Nesse contexto, a morte significa separação, não aniquilação. Assim, o verso implica que o pecado separa o corpo da associação de Deus embora ele esteja presente, como o Espírito Santo, dando vida ao espírito humano. Sob essa condição, o corpo não teria a proteção de Deus e estaria vulnerável ao ataque satânico. A vida do espírito "por causa da justiça" é obviamente a justiça de Cristo atribuída a nós, e não por nossos próprios méritos. Novamente, vemos aqui que o pecado abre a porta para a aflição demoníaca na mente e no corpo.

Em Tiago 2:21-23, vemos a referência a uma justificação que aplica-se à condição de Abraão e uma justiça que refere-se à sua posição. Finalmente, 1 João 3:7 apresenta uma justiça que é atribuída ao desempenho bem como alocação. Como nossa posição nos céus baseia-se totalmente nos méritos de Cristo, segue-se que esse verso refere-se à nossa condição bem como à nossa posição.

As leis morais do Antigo Testamento ainda são normativas para a conduta. Logicamente, algumas mudanças sociais afetaram a aplicação de almas leis, como por exemplo a morte por apedrejamento. No Novo Testamento, fica claro que as restrições alimentares e as leis governamentais não estão mais em vigor; a única restrição alimentar que o Novo Testamento prescreve é contra comer carne com sangue. Deus não estabelece a Lei para seu próprio benefício, mas para o benefício do homem. Enquanto os judeus obedeceram a Lei, estiveram sob a proteção de Deus. Quando desobedeceram a Lei, Satanás obteve acesso e pôde atacá-los. Quando o homem peca, dá a Satanás autoridade sobre sua vida.

"Sabendo isto, que o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado." [Romanos 6:6].

Da mesma foram como a Lei protegia os israelitas do ataque satânico, assim também a obediência ao critério moral de Deus protege o crente dos ataques demoníacos.

Quando Adão escolheu seguir a Satanás, rebelando-se contra Deus, entregou a Satanás a autoridade que lhe tinha sido entregue por Deus. Tendo dado sua autoridade a Satanás, Adão não teve como reinvindicá-la de volta. Assim também ocorre hoje, quando o homem entrega a autoridade em sua vida a Satanás, não tem a capacidade de recuperá-la. Felizmente, o crente tem acesso a um poder maior, por meio de Jesus Cristo, pelo qual pode superar a posição que Satanás ganhou. O chefe do lar tem a capacidade por meio da delegação de autoridade do Senhor, de restaurar para si e para sua família tudo o que Satanás tirou dele. É instrutivo olhar para as diretrizes para a seleção dos presbíteros e diáconos, conforme prescritas nas Escrituras, para obter uma compreensão dos critérios de conduta para o chefe da família.

"Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma só mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar; não dado ao vinho, não espancador, não cobiçoso de torpe ganância, mas moderado, não contencioso, não avarento; que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia (porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus?)" [1 Timóteo 3:2-5].

Embora esses sejam critérios para a liderança na igreja, um padrão similar aplica-se ao chefe do lar. O chefe da família, homem ou mulher, mantém uma forte posição cristã por meio do tempo dedicado para a leitura e meditação na Palavra. Todas essas virtudes mencionadas acima contribuem para uma posição positiva de autoridade.

Deus colocou o chefe da família em uma posição crucial. Ele (ou ela) pode escolher abençoar sua família, ou pode bloquear Deus de chegar a ela, porque a bênção de um pai dirige o fluxo das dádivas de Deus. Quando os pais oram e seguem os princípios de Deus de autoridade e de santidade, o espírito e a alma das crianças serão nutridos... Afinal, santidade não é religiosidade ou legalismo. É a vida de amor sacrifical vivida diariamente na família. É amor profundo, expresso pessoalmente no lar. É obediência à Palavra de Deus.

Atualmente, existem muitas famílias em que não existe a figura paterna. Nesses casos, a mãe precisa buscar no Senhor a cobertura de autoridade. O Senhor é então um marido para a mulher e um pai para seus filhos. Debaixo dessa cobertura, a mulher assume então total poder de autoridade sobre seus filhos. É importante nessa circunstância, que todo o poder de autoridade negativa do pai seja quebrada no nome de Jesus.

Como a tarefa de prover a cobertura de autoridade é mais difícil para a mãe solteira do que quando o pai e a mãe estão presentes, seria apropriado para uma mãe reivindicar as bênçãos do Senhor para si mesma e para seus filhos quando não houver um pai para fazer isso.


continua...

Angela Natel On sexta-feira, 14 de maio de 2010 At 06:04

http://www.indigena.org.br/v1/index.php?option=com_content&view=article&id=8:uso-das-escrituras&catid=7:eventos&Itemid=9
Angela Natel On quinta-feira, 13 de maio de 2010 At 06:01

Ultimas Vagas.


Angela Natel On quarta-feira, 12 de maio de 2010 At 06:39

O Antigo e o Novo Testamento falam das mulheres com profundo respeito por elas como pessoas e por seu trabalho no reino de Deus. Embora a cultura israelita fosse patriarcal, o Antigo Testamento dá um lugar proeminente ao caráter, liderança e serviço de muitas mulheres. Isso é bem evidente nos títulos "profetiza" e "juíza" dados à muitas mulheres, e na participação delas na adoração individual e familiar a Deus.

No Novo Testamento, a pronta aceitação e inclusão de mulheres no ministério de Jesus está em contraste com o desdém e a atitude condescendente de muitos de seus contemporâneos. Os encontros registrados entre Jesus e várias mulheres ilustram sua disposição de associar-se com elas e seu respeito por sua inteligência e fé. A igreja primitiva seguiu o padrão de Cristo, incluindo as mulheres como membros plenos. Elas tiveram um papel significativo na vida da igreja, ensinando os homens e as mulheres e cuidando dos necessitados.

O Novo Testamento afirma que as mulheres e os homens são igualmente membros do sacerdócio de todos os crentes, por meio da fé em Jesus Cristo. As Escrituras ensinam claramente que homens e mulheres são iguais, tendo o mesmo relacionamento com Deus. No entanto, as Escrituras também revelam uma ordem em seus relacionamentos uns com os outros e para com Deus. Para Deus, igualdade não significa que somos iguais diante dele. A discussão do Novo Testamento dessas relações está enraizada em uma ordem divina que não é anulada pela nova criação.

As Escrituras mostram que a provisão para a cobertura de autoridade para uma mulher deve vir de seu pai ou de seu marido. Qual então é a condição de uma mulher quando não há um homem em uma posição de autoridade espiritual? Não é uma questão fácil de responder. Entretanto, o princípio da Palavra de Deus é que ele é quem provê as necessidades do crente em todas as áreas em que este não tenha as forças. Assim, quando outra necessidade está faltando, a mulher deve buscar essa autoridade diretamente em Jesus Cristo.

Quando a mulher é solteira e está sozinha, deve buscar em Jesus Cristo a autoridade, como buscaria de um pai humano e cristão que vive em perfeita comunhão com Deus. Os princípios bíblicos de autoridade espiritual, apresentados daqui para frente, devem ser usados pela mulher solteira para sua própria proteção. Todas as provisões de Deus para a implementação do poder da autoridade estão disponíveis para a mulher para seu próprio bem.

No caso da mulher que é mãe solteira, a implementação da autoridade é mais complexa. É mais difícil para uma mãe manter uma cobertura sobre as crianças do que é para o pai. Ela precisa compreender melhor e interceder mais do que o pai, pois será mais atacada por Satanás do que no caso em que há um pai e uma mãe. Satanás sempre concentra seus ataques nos pontos em que identifica alguma debilidade. Entretanto, o Senhor prometeu que nunca nos deixará nem nos desamparará e a mulher que confiar em suas promessas poderá obter toda a ajuda de Deus. A mulher que compreende bem os princípios bíblicos pode ser tão vitoriosa na guerra espiritual quanto um homem.

Quando há um pai presente no lar, mas ele não é um crente que vive dentro da vontade de Deus, a mulher ainda pode buscar a autoridade de Jesus. Entretanto, essa condição é talvez a mais difícil que uma mãe cristã pode enfrentar, porque ela está restringida, pois não deve tentar usurpar a autoridade do pai, e por outro lado está preocupada com a condição espiritual das crianças. Ela precisa orar e interceder pelos filhos e pelo marido, em total confiança no Senhor, que ele poderá ajudá-la mesmo nessas circunstâncias.


continua...

Angela Natel On terça-feira, 11 de maio de 2010 At 06:15

“Orai sem cessar. - انقطاع بلا صلّوا

(1 Tessalonicenses 5:17)


No final de 2009 o Projeto de Lei da Deputada Estadual Haifa Madi intitulando o dia 12 de maio como o Dia do Islamismo, a ser comemorado anualmente, foi aprovado na Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo. Segundo o presidente da UNI, União Nacional das Entidades Islâmicas, Abdul Nasser EL Rafei, a aprovação dessa lei é um reconhecimento do Estado aos conceitos e altos valores do Islamismo, como harmonia e amor ao próximo que a religião prega aos seus adeptos. “Onde houver Islamismo virão ajudas ao próximo, ações comunitárias em prol da população de baixa renda e das crianças, como a ação Criança Feliz, a Ação Comunitária S.O.S. Santa Catarina, S.O.S. Haiti e outras que realizamos em 2009”, diz EL Rafei.

“A bondade presente nessas ações comunitárias realizadas pela comunidade muçulmana é evidente. O Dia do Islamismo vem a ressaltar essas ações da religião que atua em várias áreas, como o comércio, medicina e tecnologia. A criação dessa lei ainda promoverá o melhor conhecimento do Islamismo, para erradicar de uma vez por todas o preconceito em relação à religião e seus preceitos. A falta de informação é grande e com a comemoração dessa data todos terão a oportunidade de conhecer melhor nossa cultura e os conceitos do Islam”, afirma a deputada Haifa.

A intenção de reconhecer as ações e preceitos do Islam, informar sobre a religião e promover a paz e o respeito aos muçulmanos do Brasil e de outros países foi bem recebida na Assembléia e pela comunidade muçulmana, que comemorará esse ano pela primeira vez a data.

Evento comemorativo

No dia 10 de maio mais de 500 convidados entre autoridades políticas como senadores, governadores, prefeitos, deputados estaduais e federais e várias lideranças religiosas são esperadas para a sessão solene em comemoração ao Dia do Islamismo. O evento acontecerá no Plenário Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira, no Palácio 9 de julho, a partir das 20h.

Durante a solenidade terão a palavra alguns dos convidados presentes, em seguida será exibido um vídeo sobre as ações comunitárias realizadas pela comunidade muçulmana e as cerca de 120 mesquitas espalhadas pelo Brasil e, ainda, o conceito do Islamismo. O evento será encerrado com um coquetel oferecido aos convidados no final da noite.

UNI (União Nacional das Entidades Islâmicas)

Site: www.uniaoislamica.com.br

Informações à imprensa:

A3 Comunicação / (11) 3831-4361
Maria Helena Antoniadis (11) 8375-9804 / Patrícia Guerra (11) 8375-9819
mariahelena@a3comunicacao.com.br / patricia@a3comunicacao.com.br

http://www.uniaoislamica.com.br/dtl_noticia.php?id_noticia=363

Angela Natel On segunda-feira, 10 de maio de 2010 At 06:59
Ficha técnica
Autores: Aileen Silva Carroll
Sérgio Andrade
Páginas: 128
Formato: 14x21
Código: 41.45
Preço: R$ 24,80
EDITORA ULTIMATO

Sobre os autores
Aileen Silva Carroll trabalha com a Associação Menonita de Assistência Social como técnica e educadora na área de violência familiar. É pós-graduada em aconselhamento pastoral pela Universidade Metodista de São Paulo.
Sérgio Andrade é deão da Catedral Anglicana da Santíssima Trindade, em Recife, PE, e coordenador de programa social da ONG Diaconia. Lidera projetos nas áreas de superação da violência contra a mulher e prevenção do HIV/Aids.


O que é
As palavras de Martin Luther King “Não à violência do coração, não à violência da palavra, não à violência do punho” são ainda bastante atuais. E a violência contra a mulher praticada por parceiro íntimo não poupa a igreja.

Até Quando? mostra a importância e o papel da comunidade de fé nessa questão, especialmente, nos momentos mais sombrios, quando a mulher sofre lesões físicas e feridas psicológicas nas mãos da pessoa que mais deveria amá-la e protegê-la.
Por que ler
Até Quando? aponta caminhos para a capacitação das igrejas, líderes, conselheiros e familiares no acompanhamento bíblico e pastoral de pessoas que sofrem violência e pessoas que usam a violência.
O que disseram
“Coloco-me ao lado dos autores para lamentar a omissão das lideranças religiosas — inclusive de igrejas cristãs — sobre a violência contra a mulher. Todo cristão deve estar disposto a levar às últimas consequências a luta em defesa da mulher vítima de violência.”
-- Carlos Queiroz
Angela Natel On domingo, 9 de maio de 2010 At 06:47
Data: 18 de maio
Local:
São Paulo às 15:30 (saída da Praça da Sé)/ Juiz de Fora às 15:30 (saída do Parque Halfeld) / Campinas às 10:00 (saída do Largo do Rosário)
Angela Natel On sábado, 8 de maio de 2010 At 06:20

A Marcha Para Jesus em Curitiba será realizada no dia 15 de maio - sábado, e terá seu início às 09h00 da manhã na Praça Santos Andrade, em frente ao Teatro Guaíra.

Neste ano foi incluída a ação de arrecadar alimentos não perecíveis. À REPAS e a RESAL assumiram a responsabilidade de fazer o recolhimento e distribuição desses alimentos.

Queremos oferecer á cidade de Curitiba e á organização do evento, uma ação transparente e bem planejada, para assegurar o futuro de mais ações como esta.

Estimamos as doações em torno de 30 toneladas de alimentos e duas carretas já foram cedidas pela Cargolift para armazenar e transportar as doações. Os alimentos serão levados para um barracão e separados, na sequencia, no dia 17 de maio, serão retirados pelas organizações cadastradas (expectativa no mínimo de 300 kg por entidade).

A prioridade das retiradas serão das Comunidades Terapêuticas da capital e região metropolitana, em seguida as demais organizações que efetuarem o seu cadastro. Assim, podemos abençoar nossa cidade com uma demonstração de fraternidade e compaixão.

CADASTRE SUA ORGANIZAÇÃO diretamente com a REPAS, solicitamdo o formulário. As organizações cadastradas se comprometem a buscar a doação de alimentos no dia 17 de maio em um endereço de fácil acesso em Curitiba. A organização que enviar o formulário preenchido, receberá o endereço e senha para buscar a doação.

Deus abençoe a todas e um grande abraço,

A coordenação da REPAS e RESAL


Atenciosamente,
Coordenação
REPAS - Rede Evangélica Paranaense de Assistência Social

|41| 2118-7955
repasparana@gmail.com
www.repas.org.br
Angela Natel On sexta-feira, 7 de maio de 2010 At 08:43
Elben M. Lenz César

Na próxima semana, acontecerá aqui em Viçosa a 1ª Semana da Diversidade Sexual, envolvendo toda a comunidade universitária. Um dos objetivos é combater a “discriminação contra gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais”, o que tem sido chamado acertadamente de homofobia.

Se este objetivo for alcançado, me darei por satisfeito, mesmo não abrindo mão das minhas convicções cristãs contrárias à prática da homossexualidade. Primeiro, porque, em tempos bastante remotos, eu não sabia diferenciar uma coisa da outra, misturando a formação heterossexual com alguma dose de discriminação. Se todos somos igualmente marcados pelo pecado, tanto potencialmente como na prática, a discriminação torna-se ridícula e hipócrita, além de aumentar mais um pecado ao nosso vergonhoso currículo moral. Segundo, porque a oposição que alguns fazem ao homossexualismo não é educada, inteligente, coerente e caridosa. Há casos de agressão verbal e física. Em alguns setores muçulmanos acentuadamente fundamentalistas, os homossexuais podem até ser condenados à morte. Em maio de 1998 visitei o campo de concentração de Mauthausen, na Áustria, e vi uma placa assinalando que, entre os prisioneiros, alguns não eram nem judeus, nem inimigos políticos da Alemanha nazista, mas apenas homossexuais.

Em contrapartida, os homossexuais não podem dar lugar à heterofobia. Eles devem sair do armário sem pretender colocar os héteros dentro dos armários vazios. A sociedade precisa enxergar esse processo em andamento. Se os homossexuais podem defender a bandeira da homossexualidade, por que os heterossexuais não podem defender a bandeira da heterossexualidade?

Se a consciência de um homossexual não o deixa em paz, apesar do apoio ostensivo da mídia, de alguns profissionais da saúde e até mesmo de algum líder religioso, por que não se pode dar a ele auxílio psicológico ou pastoral, caso a pessoa espontaneamente o solicite? Se uma igreja se recusa a celebrar um casamento gay ou a ordenar padre ou pastor um homossexual praticante, por que zombar, perseguir, maltratar ou prender o responsável por esse comportamento, exigido por seu credo? Os homos querem liberdade de pensamento e de ação. O mesmo acontece com os héteros.

A prática homossexual é condenada pelas três religiões monoteístas do planeta: o cristianismo, o judaísmo e o islamismo. No caso dos protestantes (este é o meu caso), enquanto estes se conservarem fiéis às Escrituras Sagradas, sua única regra de fé e prática, a conduta homossexual será considerada um desvio sexual. Mas à luz da mesma Bíblia, eu também não posso odiar o gay, a lésbica, o bissexual, o travesti e o transexual!


• Elben César, diretor-redator da revista Ultimato


Angela Natel On At 06:37

O CURRÍCULO DE VIDA DOS CANDIDATOS:



Angela Natel On quinta-feira, 6 de maio de 2010 At 06:33

O CURRÍCULO ACADÊMICO DOS CANDIDATOS:




Angela Natel On quarta-feira, 5 de maio de 2010 At 06:29


A respeito dos candidatos à presidência do Brasil, COMPARE E TIRE SUAS DÚVIDAS, SE É QUE AS TEM.

CURRÍCULO ELEITORAL DOS CANDIDATOS:






Angela Natel On terça-feira, 4 de maio de 2010 At 07:34
Promovido pelo grupo de Jovens da Igreja Menonita Ágape.
Mais informações no blog

Angela Natel On segunda-feira, 3 de maio de 2010 At 06:09
Continuamos a testemunhar a distorção e a diluição do evangelho, que em alguns lugares é totalmente substituído por falsos evangelhos. Podemos perguntar: onde está a ênfase de proclamar a livre graça de Deus na justificação dos pecadores? Martinho Lutero, o reformador, disse: “O critério para avaliarmos se uma igreja está firme ou vacilante é a justificação pela fé somente”. Infelizmente, muitas igrejas já não enfatizam essa grandiosa doutrina que está no próprio âmago do evangelho.

Muitos evangélicos presumem de modo incorreto que a salvação é meramente uma questão de repetir uma oração: “Jesus, entra no meu coração”. Ao mesmo tempo, a maioria dessas pessoas não possui a menor idéia de como somos perdoados, justificados e declarados justos diante de Deus. Ainda mais inquietante é o fato de que boa parte de nossa cultura cristã contemporânea está confusa ou até mesmo totalmente ignorante a respeito de como Deus, em seus propósitos soberanos, nos traz o evangelho. As grandes doutrinas evangélicas da presciência, da eleição, da predestinação, da justificação e da regeneração não são levadas em conta ou são completamente esquecidas.

Quando dizemos que o evangelho tem sido distorcido em algumas igrejas nos nossos dias, estamos afirmando que algumas coisas têm sido subtraídas dele, de modo que a mensagem original fica gravemente distorcida. Segue-se uma lista de algumas das coisas que freqüentemente são omitidas ou subtraídas do evangelho:

1. O sangue de Jesus;
2. A cruz de Jesus;
3. A doutrina do castigo eterno;
4. A doutrina do arrependimento;
5. A lei de Deus para convencer do pecado;
6. O temor a Deus;
7. A chamada a uma vida santa;
8. As grandes doutrinas da graça (ver Rm 8.28-30).

Todo crente, ao avaliar a igreja que freqüenta, deve fazer as seguintes perguntas:

1. O evangelho da justificação pela fé somente é proclamado de modo claro e consistente?

2. As grandes doutrinas da igreja cristã são pregadas de modo sistemático, ou o culto enfoca histórias comoventes que visam apelar às nossas emoções?

3. O pastor atribui a Deus toda a glória pela salvação? O pregador deixa claro que a salvação é a obra de um Deus soberano, que salva os pecadores pela sua graça livre e soberana?
.
Extraído do Livro: O que a Bíblia Ensina Sobre Adoração, de Robert L. Dickie. Editora Fiel
Via: [ Orthodoxia ]

http://bereianos.blogspot.com/

Angela Natel On domingo, 2 de maio de 2010 At 06:42
Angela Natel On sábado, 1 de maio de 2010 At 06:38
JANTAR DANÇANTE BENEFICENTE
O NACIC Núcleo de apoio as crianças e aos idosos com câncer vai realizar o Jantar dançante Beneficente em Homenagem ao dia das Mães.
Será no Restaurante Madalosso no dia 06/05/10 ás 20h00min. Será uma noite muito agradável com muitas homenagens para mães que estiverem presentes, sorteios de brindes, apresentações do trabalho realizado pelo NACIC, banners, folders e a banda que irá animar o jantar.

O valor de cada convite por pessoa é R$ 30,00, esse valor será revertido em prol a todas as crianças que são assistidas pelo núcleo, em forma de medicamentos de altos custos, leites, fraldas, alimentação, entre outras necessidades especiais.

Uma oportunidade dos colaboradores prestigiarem nosso trabalho, tendo uma noite especial e diferente, e assim continuar essa corrente de solidariedade para nossas crianças.

Que Deus abençoe e lhe esperamos no Jantar!

Obs. O Evento será no Salão Napoli.

Atenciosamente

Vanessa Ribas

NACIC

TEL: (041) 4102-6771.

RUA PERCY FELICIANO DE CASTILHO, 944 – BAIRRO ALTO.

E-mail: nacic_ba@hotmail.com

Site www.nacic.org.br


Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.