Angela Natel On terça-feira, 10 de março de 2009 At 07:24
Salmo 25:14 – Deus tem segredos no mundo espiritual. A compreensão destes segredos podem ser revelados por Deus para os que O temem (relacionamento de submissão, reverência, obediência).
Todos os capítulos da Bíblia, de Gênesis até Apocalipse, falam de aliança. Muitos problemas enfrentamos porque não compreendemos os valores da aliança de sangue. Aliança é uma linguagem estabelecida por Deus. Entender aliança muda a vida do cristão. Não há como entender o caráter de Deus se não entendermos o que é aliança.

Aliança de sangue: é um acordo, um pacto permanente ou indissolúvel entre partes pela qual se estabelece o mais íntimo e mais duradouro de todos os contratos. É um contrato que não pode ser anulado entre duas partes e selado com derramamento de sangue – a garantia da aliança é a vida. A pena pela quebra da aliança é a morte.
Cortar a aliança: estabelecer aliança, firmar ou fazer uma aliança.
Não há outro elemento que seja tão importante ou nobre como o sangue. Existem valores inegociáveis. – Levítico 17:10 e 11; Hebreus 9:22 - O sangue é a vida, a expiação da culpa pelo pecado é feita através do sangue. – Gênesis 9:4

Aliança de sangue é um ritual antigo em culturas que conhecem ou não a Deus. Foi Deus quem ensinou as pessoas a fazerem alianças de sangue – Gênesis 4:3 e 4. Abel aprendeu de Adão o culto a Deus. Deus nunca exige algo que não instruiu antes. Era necessário oferecer o sangue. Caim tentou se aproximar de Deus pelo trabalho de suas mãos, pelo seu esforço (obras), Abel vai a Deus através do sangue derramado.
Gênesis 3:21 – Um animal foi sacrificado, sangue foi derramado para cobrir a nudez do homem. – Hebreus 11:4.

Princípios:
· Deus requer o derramamento de sangue pelo pecado;
· O pecador deve ser coberto;
· Houve o derramamento de sangue para cobrir o pecador;
· O pecador deve aceitar o sacrifício;
· Deus providenciou o sacrifício;
· Substituição – um animal no lugar da pessoa;
· Deus fez cair sobre o sacrifício o julgamento (transferência);
· Quando Adão pecou eu e você pecamos em Adão (porque ele foi um iniciador de raças), assim como se teu avô morresse com 2 anos de idade você teria morrido junto com ele – Romanos 3:23. Isso é diferente dos anjos, porque não se reproduzem, foram criados individualmente;
Adão e Eva tinham a unção de reis e sacerdotes – chamados para governar (reis) e ter comunhão com Deus (sacerdotes). O pecado quebra a aliança (Isaías 59:2), porque quebra-se a comunhão com Deus. O sacrifício cobre o pecado e o homem pode se apresentar diante de Deus – Hebreus 9:11 e 12. O sangue mais nobre que existe é o sangue do primogênito. Os sacrifícios de animais eram limitados. Deus quer toda a humanidade, então dá o sangue do Seu primogênito (João 3:16; Hebreus 9:13 e 14).

O pecado do homem é a desobediência – Atos 5:3 – A rebeldia é cultivada. Satanás incentiva até encher, o que gera o pecado.Jesus Cristo é o Mediador da nova aliança, em que não se cobre o pecado, mas o pecado é tirado (João 1:29).
Aliança (hebraico) – berite = cortar onde flui o sangue (264 vezes no Antigo Testamento);
(grego) – diatekê = fundir, soldar, cimentar (juntando duas partes numa só.
Deus conosco – aliança desigual. Deus deu tudo o que Ele tinha e eu dei o que eu não tinha. Ele fez tudo a meu favor e eu não fiz nada a Seu favor.

Por que se firma uma aliança?
1) Proteção; se toca em mim, toca em Deus. Enquanto Israel obedecia à aliança nenhum inimigo os derrotava. Quando desobedeciam eram exterminados pelos seus inimigos (Juízes 6:10 e 16; Gênesis 15:1).
2) Igualdade; irmãos de sangue (I João 3: 1 a 3) – aliança de igualdade. Direito: o mesmo Espírito que ressuscitou a Jesus dentre os mortos mora dentro de nós, podemos fazer as mesmas obras que Ele e ainda maiores (cf. Romanos 8:17). O fraco sobe ao nível do forte.
3) Amor; Deuteronômio 7:7 e 8 – desejo de comunhão, de se tornar íntimo, de estar próximo. O casamento é uma aliança de amor. Os níveis de aliança no casamento são: juridicamente (registro em cartório, debaixo da autoridade do governo), socialmente (festa e celebração com a Igreja e familiares, debaixo da autoridade da Igreja) e espiritualmente (com o primeiro ato sexual, no derramamento de sangue, debaixo da autoridade de Deus). Por isso tantos ataques do diabo para que as pessoas percam a sua virgindade antes de se casarem oficialmente. A mulher está espiritualmente ligada ao primeiro homem com quem teve relação sexual. Quando há separação, o diabo tem autoridade porque espiritualmente não estão ligados. A mulher não consegue se sujeitar ao marido porque não está ligada espiritualmente a ele. O casamento bíblico é um homem virgem com uma mulher virgem. Quem não entende de aliança está nas garras de Satanás. A bênção vem para os da aliança (Gênesis 4:7).

Termos da aliança:
1) Troca-se o manto. Por causa do sangue de Jesus temos vestes brancas. Proteção (exemplo de José, que recebeu uma capa de seu pai representando que ele era o filho protegido).
2) Troca-se o cinto; doar-se em favor do outro, sustentar o outro, sustentar as armas. “Eu me dôo a você, vou te sustentar.
3) Fazer um corte na palma da mão, no pulso ou no rosto. Unem-se os cortes para se misturar o sangue. Põe-se cinza, que serve para duas coisas: serve como antiséptico (evita infecções) e dá uma reação alérgica na pele, uma irritação para deixar uma cicatriz como marca. O sinal da aliança para Israel é a circuncisão (derramamento de sangue). O sinal da Igreja é a circuncisão do coração (Romanos 2:29). “Se toca em mim, toca nele.” O anel de casamento é uma marca exterior da aliança, e é colocado na mão esquerda porque o braço esquerdo tem uma ligação direta com o coração.
4) Morte de um animal – oferta de sangue para unir as duas partes – culpa retirada.
5) Refeição memorial; Salmo 23:5 – de lembrança. A Ceia do Senhor (comunhão) é uma refeição memorial de aliança. I Coríntios 11:24. Ela nos lembra: de onde estávamos (Efésios 2:11 e 12), onde estamos agora (Colossenses 3:3). Lembra-te de onde vieste, para onde vais e onde estás! É uma refeição de ação de graças (I Coríntios 11:24; João 3:16). Gratidão pelos feitos de Deus (Salmo 103:1 e 2). É a mesa do auto exame (I Coríntios 11:28). Qual é o teu compromisso, a tua seriedade para com a tua santificação? Qual a tua fidelidade para com a aliança? É a mesa da vitória (I Coríntios 11:28) – Ele ressurgiu! Ele te poder sobre a morte (Salmo 23:5). O diabo não pode tocar na tua vida, ele não pode participar desta mesa, nem te impedir de participar. É Jesus quem tem as chaves da morte e do inferno, e é Ele quem tem aliança com você. João 6:51 – Mesa do amor e da comunhão: é o mesmo corpo, o Corpo de Cristo. Efésios 4:4 – o Corpo é um só. Na ceia se diz: “Eu prefiro morrer do que falar mal do meu irmão – isso é aliança. Salmo 133. É a mesa da consagração. Eu me entrego a Jesus. Tudo o que eu tenho, tudo o que sou pertence a Jesus (Cantares 2:4). É a mesa da fé – certeza que a aliança se estende pela eternidade!
6) Troca de nomes. O diabo quer fragilizar os princípios do casamento (com mentiras como: “A mulher não precisa mais mudar seu nome…”). Êxodo 3:6 – Yahweh Abraham, Yahweh Yisrael, Yahweh Yitzach. Troca de nomes. Deus coloca nosso nome no dEle. Deus tem nomes redentivos que expressam Sua aliança conosco: Yahweh (YHWH) aparece 6500 vezes no Antigo Testamento. Yahweh Jireh = Deus que provê, que vê favoravelmente (Gênesis 22:14); Yahweh Raphah = Deus que cura (Êxodo 15:26). Jesus subiu ao madeiro para sermos livres da amargura. Isaías 53; Atos 2:21 (‘salvo’ – grego:’sozo’= salvo ou curado. Yahweh Nissi = Deus é nossa bandeira, nossa vitória (Êxodo 17:15; Romanos 8:38 e 39); Yahweh Tsidkenu = Deus é nossa justiça (Jeremias 23:5 e 6; II Coríntios 5:21; Romanos 5:19); Yahweh Ra’ah = Deus é nosso Pastor (Salmo 23:1) que protege, cuida, pastoreia, provê, cura e se relaciona (aliança). Yahweh Shalom = Deus é nossa paz (João 14:27; Filipenses 4:6 e 7).
7) Têrmos da aliança – bênçãos e maldições: Deuteronômio 28:1 a 14 (bênçãos). Condição: v. 1, promessa: v. 2, perseguidos por bênçãos. Deuteronômio 28:15 a 68 (maldições). Muitas enfermidades estão por termos violado a aliança.
8) Direito de posse.

Exemplo: I Samuel 18:1 a 5
Por que o sucessor do trono abriu mão do seu direito? Amor. Jônatas discerniu espiritualmente Davi. I Samuel 17: 25 e 26 – Quem era isento de imposto na nação? Os príncipes! Davi assumiu o status de príncipe, teve a filha do rei como esposa, tinha herança real. Jônatas pensou ter vantagem em fazer aliança com Davi. I Samuel 17:26: “Golias não tem aliança com Deus, eu tenho, por isso vencerei.” Davi venceu Golias por causa da aliança. É, no mínimo, inteligente andar com alguém que tem aliança com Deus.
II Samuel 1 – morte de Saul e Jônatas; vv. 19 e 20 – proteção ao nome de Jônatas. I Samuel 19:1 e 2 – proteção; vv. 3 e 4 – princípio de aliança. Igreja não fala mal de outra. Irmão não fala mal de outro. Aliança é proteção!
I Samuel 19:5 e 6; 23:16 a 18; II Samuel 9:1. Davi é rei! A aliança e seus benefícios se estendem para os descendentes. II Samuel 4:4. Mefibosete não sabia da aliança e via Davi como um impostor, alguém que tinha roubado o reino da sua família. II Samuel 9:2 a 9. Quando o Espírito Santo nos toca, Ele diz: “O Pai te chama.” Nos sentimos indignos. Mas, em Cristo, tudo o que o diabo nos roubou, o Pai nos restituirá por causa do sangue de Jesus (Hebreus 10:19 a 22). II Samuel 9:10 a 13 – Salmo 127:3 a 5 – os filhos são beneficiados por causa da aliança que temos com Deus.

Temos uma aliança com Deus em Cristo Jesus! Deus fez aliança primeiro com Abraão, depois com Moisés. A aliança com Moisés era baseada na obediência a regras, à lei, era uma aliança que não transformava o caráter do pecador. A lei serviu de guia (Gálatas 3:23 a 25) e nos conduziu a Cristo. Quando Pilatos disse de Jesus: “Não vejo nEle crime algum”, isso representava a vistoria que o sacerdote fazia ao animal a ser sacrificado durante três dias para determinar se não havia defeito nele e, portanto, se podia cobrir o pecado de uma pessoa. Pilatos declarou que Jesus é o Cordeiro perfeito. Os que compreendem que só esse sangue nos limpa estão dentro da aliança feita com Abraão (não com Moisés, porque esta foi revogada, pois tinha defeito). Gálatas 3:7 a 14, 16, 26 e 29. O que Deus prometeu a Abraão, nós temos direito. Em Cristo somos descendentes de Abraão. Somos participantes de uma aliança perfeita – com Deus em Cristo Jesus, nossa garantia mediante a nova aliança. Somos do domínio e possessão de Deus (I Pedro 2:9), temos o selo, a marca de Deus (II Timóteo 2:19).

O Espírito Santo é o penhor desta aliança e habita em nós. A presença do Espírito Santo diz que você pertence a Deus. E “o Espírito e a Noiva dizem: Vem, Senhor Jesus!” Apocalipse 22:17.

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.