Angela Natel On terça-feira, 17 de março de 2009 At 08:57
Deus é um Deus muito sério. As alianças são termos legais que valem também para o Reino do espírito. A aliança mosaica é a mais completa. Esta aliança é feita após a libertação da escravidão do Egito, com a casa de Israel, ao pé do monte Sinai. Êx. 24:7, 8 – feita com o povo de Israel e não é uma aliança redentiva. Dt. 5:2, 3 – É para o estabelecimento de um povo. 1a Rs.8:9; Rm.9:4, 5. Uns acham que nada desta aliança tem a ver conosco. É ao Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó que invocam nesta aliança. Êx. 2:23-25.
Tudo quanto Deus fez para Israel, Ele quer fazer para todos os outros seres.Assim como Dt. 28 e Sl. 23 são para Israel, esta aliança também. Esta aliança foi feita um pouco mais de 430 anos depois da aliança abraâmica. Gl. 3:14-19. A aliança não invalida a promessa. Muitos aspectos desta aliança foram feitos por causa das transgressões do povo até que a promessa se cumprisse em Jesus.
Por que a aliança foi feita?
a) Por propósito de Deus;
b) Como uma prova de Deus (o bezerro de ouro).
Êx. 12 – a salvação de Israel foi derivada dos cordeiros imolados e não da sua justiça. Os filhos de Israel não seguiram os preceitos de Deus. Js. 24:14 – É o sangue do Cordeiro que salva. Nenhuma carne pode se vangloriar na presença de Deus, mas é a Sua graça que nos alcança. É o sangue que nos livra, é o preço da redenção pago por Jesus na cruz do Calvário.
Êx. 2:23-25 – Eles sofriam porque quebraram a aliança anterior. Êx. 3:15. Deus se mostra como guardador da aliança. Êx. 6:3-8. Israel tinha falhado. Então veio julgamento e graça de Deus em uma nova aliança. Deus não se cansa. Ele sabe o fim.
Deus dá sinais a Moisés – Êx. 2:23. Deus ouviu o gemido – é a graça! Êx. 4:29-31; Êx. 4:24-26. Para que Satanás não usasse isto contra a libertação diante de Deus mais tarde. – Êx. 5:5-12. Tudo escrito em Gn. 15 se cumpre aqui. Tudo se cumpre!
Não há aliança sem prova. Dt. 8:2, 3 – “Deus te provou para saber o que estava no teu coração”.Deus deu quatro testes a eles, nos quais eles não passaram em nenhum:
1) Êx. 14:10-14 – Eles falharam no 1o teste. Deus sempre te dará uma prova. A graça e a misericórdia de Deus é que nos fazem viver. Deus é muito bom e a Sua misericórdia dura para sempre. Quantas vezes em nossa vida Deus nos traz um grande livramento, aí vem a crise e o que fazemos? Assim como eles, fracassamos na fé e na obediência. Em Sua misericórdia, Deus faz o Seu milagre. Não questione Deus. Tem na frente um mar? Vá! E Deus abre o mar para Seus filhos e o fecha para os seus inimigos.
2) Êx. 15:23-26 – Murmuração de novo. Apesar da falha deles, Deus vem e mostra Seu amor. Quando o lenho é posto nas águas, elas saram! 1a Pd. 2:24 – Ele é a nossa cura!
3) Êx. 16:1-3 – “Desapareçam da minha frente, raça de incrédulos!” – Deus não fez isso. Que paciência!
4) Êx. 17:2-5 – Eles só enxergavam morte. Até Deus repreender o povo, isso durou muito. O homem, por si mesmo, não tem condições para crer e obedecer a Deus. Eles continuaram...
Dt. 32:5, 20 – Eles provocaram Deus à ira DEZ vezes! Deus lamentou. Nm. 14:22 – Ele havia dado os mandamentos. Dt. 5:3, 22, 27-29. Lamento: “Quem dera eles obedecessem sempre assim...” Mas eles ainda assim rejeitam a aliança.
Logo depois, Moisés há 40 dias no monte desce, o povo já tinha quebrado a aliança de novo. Saíram do caminho da fé para o caminho das obras. Hb. 3 e 4; Nm. 13 e 14; Jd.5 – A morte que eles sempre procuraram, eles encontraram. Vangloriando-se da sua capacidade de obedecer, eles passaram da graça para a lei.
A graça apela para o crer, a lei apela para o fazer. Ganharam, então, uma aliança baseada na lei. Por mil e quinhentos anos eles viveram numa aliança baseada nas obras e na lei, enquanto que a aliança abraâmica anda paralelamente com esta.
Israel seria modelo. As bênçãos, a lei moral e tudo o que Deus dá para Israel é para todos os outros povos. Dt. 4:6, 8, 31-40. Para que soubéssemos que YHWH é Deus. Não há outro! Se a nação que viu o poder de Deus, a nação sacerdotal, fracassa, que dirá das nações que nada viram e nada ouviram? Rm. 3:19 - Pela justiça ninguém escapa, mas pela misericórdia há redenção. A aliança mosaica prepara para a Nova Aliança.
Há 12 aspectos do propósito de estabelecer a aliança mosaica:
1) Estabelecer um padrão divino de justiça, Sl. 19:7-10; Rm. 7:12-14 – A lei revela o que está dentro de nós;
2) Dar uma clara definição externa do pecado por causa de uma inadequação da consciência humana. Minha consciência não pode ser o meu juiz. Rm. 3:20; 7:7; 1a Jo. 3:4;
3) Mostrar a Israel a grande pecaminosidade e o engano do pecado. Gl. 3:19;
4) Expor a todos os homens sua culpa diante de Deus, Rm. 3:19. O padrão de Deus é a semelhança em Jesus. Com esta aliança, Deus mostra a situação do povo e a sua necessidade;
5) Preservar a nação de Israel e a semente messiânica excluída da total corrupção dos outros povos. Gl. 3:19 – Todas as nações da terra;
6) Isolar Israel como nação sob um aio e, portanto, prepara-lo para a vinda do Messias. Gl. 3:24, 25. Se a lei prepara, ela não é permanente.
7) O equilíbrio entre a Lei e a Graça, Jo. 1:17. Em Cristo estamos na graça eterna.
8) Dar uma sombra que tipifica todas as verdades da lei e da graça em seus cerimoniais. Rm. 2:20; Cl. 2:17; Hb. 10:1.
9) Prover na lei cerimonial uma expiação temporária para o pecado. Hb. 9 e 10.
10) Ilustrar todos os elementos envolvidos nesta aliança.
11) Ninguém pode justificar-se pela lei, só pela graça. Rm. 3:20-23; Rm. 10:4.
12) Mostrar que a lei não produz vida. A vida vem por Jesus Cristo. Gl. 3:12.
A lei não traz vida. O fim da lei é Cristo. O Espírito de Deus destrói a lei do pecado e da morte para nós.
Qual a relação entre a aliança abraâmica e a aliança mosaica? A aliança mosaica permanece?
1) A aliança mosaica não anulou a aliança abraâmica. Nem anulou, nem repôs. Gl. 3:8, 9. A aliança abraâmica foi jurada. Hb. 6:3-20.
2) A aliança mosaica foi acrescentada, ao lado da abraâmica.A bênção e prosperidade de Israel existem por causa da aliança abraâmica. Gl. 3:19.
3) A aliança mosaica andou paralela ou co-existiu com a abraâmica. Gl. 3:15-19. O cerimonial é abolido e o espiritual é cumprido.
4) A aliança mosaica foi imposta para prefigurar a pessoa de Cristo. Hb. 9 e 10.
5) A aliança mosaica era temporal, até Cristo, e a abraâmica é eterna.

1.1. PALAVRAS:

Êx. 20-24; Lv. 1-27; Nm. 1-10, 15, 18 e 19, 28-36; Dt. 1-34.
Há três classificações da lei:
1) Lei Moral - Dez mandamentos (Dt. 4). Devemos separar da lei cerimonial, que é transitória. Não temos nenhuma palavra tão solene em toda a Bíblia, pois Deus as escreve com o Seu próprio dedo! A palavra aponta para Jesus. A importância da arca da aliança era as tábuas dentro dela. É depois da transgressão dos mandamentos que Deus introduz a lei cerimonial. Dt. 4:13. Os dez mandamentos são a aliança de Deus! Dt. 4:23; 5; 10:1-5; Êx. 20; 34:27, 28.
2) Lei Civil – governa todas as áreas da vida de Israel. Êx. 21 e 23.
3) Lei Cerimonial – depois da transgressão. É uma sombra da pessoa de Cristo em Sua graça.

Promessas da aliança Mosaica (Êx. 23):

1) Adição de condições para receber as bênçãos da aliança abraâmica. São afirmações. Êx. 23:25 – Agora há condições – vv.26-33.
2) As conseqüências da desobediência são maldições. Gl. 3:10. Aquele que não pratica a lei é maldito. Ninguém praticou.

Termos:

1) Obediência – a obediência da aliança mosaica brota de um esforço próprio. Promessas de vida: somente se obedecer à lei. O melhor é correr para a graça. Dt. 6:25; 11:26-28; Gl. 3:11. Aqui a justiça vem pela lei. Aliança Mosaica: fazei e vivei. Nova Aliança: recebei a vida e fazei. Aliança Mosaica: justiça pelas obras. Nova Aliança: justiça pela fé. Dt. 24:3, 7; Dt. 5:26 – A questão era: “nós vamos obedecer, mas não queremos nos relacionar”. Deus queria uma nação de sacerdotes, eles rejeitaram. Dt. 5:27-29. Israel mostrou a sua ignorância da justiça de Deus. Is. 64:6. Não há um justo, nenhum! Precisamos de um milagre!

2) Fé - A obediência de fé foi substituída pela obediência legal. Lv. 18:5; Gl. 3:10-12. A lei apenas demonstra a nossa incapacidade e a necessidade de um novo nascimento. Cristianismo não é uma religião, é um relacionamento com Jesus!

3) 10 mandamentos – para governar os relacionamentos com Deus e entre os homens. É uma aliança eterna com a casa de Israel – Êx. 20:1-3 - Para nós: “Eu te tirei da casa do pecado”.

Para com Deus:
1o) Não terás outro deus ou senhor diante de mim. – Deus é meu único objeto de culto ou adoração. – Jo. 4:24 – Nem Maria, nem José, Paulo, Tiago, Iemanjá, João ou Moisés. É Deus, o auto-existente! – Êx. 20:4 - Não há lugar para outro Deus;

2o) Não faça escultura de nada, nem figura. Compete a você aceitar ou rejeitar, mas nunca alterar. – Êx. 20:5 – Quando Deus nos confronta, é para nos libertar! A aliança é imutável, permanente! – Êx. 20:7 - Nenhuma imagem esculpida;

3o) Não tomar o nome de Deus em vão – v.8.

4o) Lembra-te do dia de sábado. É um memorial da criação. “Lembra-te...” – Memorial da 1a aliança. Vv.9-11 – A ressurreição é um novo começo. Nada tem a ver com as tábuas. É só fazer o que Deus disse. V.12 - Guardar o dia de descanso (Shabbath – sábado) para santifica-lo;

Para com os outros:
5o) Honra teu pai e tua mãe. – Rm. 1:31; Êx. 20:13;

6o) Não matarás. – Aborto, etc... – Êx. 20:14;

7o) Não adulterarás. Tem isso até no namoro. – Êx. 20:15;

8o) Não furtarás. Êx. 20:16 - Não roubar;

9o) Não dirás falso testemunho – É mentira! Se mentir, quebra a aliança. Êx. 20:17-20;

10o) Não cobiçarás.

4) Amor – Dt. 6:4-6 – Shmá Israel (Ouve, oh, Israel)! O fim da lei é Cristo! AMOR. Amarás a Deus acima de tudo! Amarás o teu próximo como a ti mesmo. A obediência deveria gerar esse amor. É só amando a Deus que eles seriam habilitados a obedecer perfeitamente. Dt. 5:28, 29. Quem nunca transgrediu algum dos 10 mandamentos? É só responder ao amor de Deus, que a graça do Seu amor mudará o rumo da tua vida.

Jr.31:31-34 – Não mais de fora para dentro, mas de dentro para fora. É aqui que nós estamos, na nova aliança. Não é mais a arca, é o meu coração, não são as tábuas, é o Espírito de Deus em mim. A nova aliança também capacita a transformação e a obediência. Rm. 8:1-6.
Se a sua religião é baseada no tangível, em fitas, talismãs, imagens, é materialismo e gera a morte. O esforço do homem por si só não produz nada.
Não houve juramento nesta aliança, por isso ela é revogável.

Livro: Êx. 24:7; Hb. 9:19-20; Dt. 31:24-26.

1.2. SANGUE:

Não há aliança com tanto sangue quanto nesta. Todos os detalhes do sacrifício de sangue dos animais cumprem-se no corpo e no sangue de Jesus. Hb. 13:11-14. É pelo sangue que chegamos perto. Temos também as ofertas que foram dadas por dois motivos:
1) Nenhum sacrifício animal removeria efetivamente a culpa do pecado;
2) Apontar Jesus Cristo, cujo sacrifício remove efetivamente a culpa do pecado. “Está consumado”.– Acabou a aliança mosaica com seu sistema sacrifical.
Que o nosso próprio coração seja transformado em santuário para honra e glória de Deus. Há cinco verdades reveladas:
1. O sangue tem voz. Hb. 12:22-24; Gn. 4:10;
2. O sangue é vida. Dt. 12:23 – Jesus derramou Sua própria vida;
3. O sangue é dado como expiação pelas almas (dos vivos). Lv. 17:10-14;
4. O sangue é revelado como o derramamento da vida. Dt. 12:16;
5. O sangue é a evidência de que o pecado gera a morte, e o seu derramar tira a culpa pelo pecado.

Mediador: Sacerdócio instituído: Duplo - Moisés e Arão.
Moisés – Mediador das Palavras e age como rei. Dt. 5:22-27.
Arão – age como sacerdote, faz o sacrifício. Hb. 5:3, 4.
Cristo – Mediador das palavras e do sacrifício (Rei e Sacerdote) entre nós e Deus.
O propósito de Deus não era instituir um único sacerdote, mas sim que Israel inteiro fosse uma nação de sacerdotes. Êx. 19:1-4. É um aspecto de comunhão e relacionamento. Vv.5 e 6. Este era o propósito. Eles falharam, então Deus separa uma tribo apenas para o sacerdócio. Ne. 13:29; Dt. 33:8-11. Todo o livro de Levítico é para essa tribo, instruindo-a, por causa da falha do povo. Com Jesus isso se torna desnecessário – Hb. 3:1.
Arão e seus filhos seriam sacerdotes. Jesus e seus irmãos também. Somos sacerdotes, raça eleita! Hb. 5:1-6 – É Ele o nosso sumo sacerdote. Ap.5:5-8 – Os 24 anciãos são os pais das 12 tribos de Israel e os 12 apóstolos – Os santos do Antigo e os santos do Novo Testamento são sacerdotes que adorarão ao Rei. Ap.5:9, 10; 1:6; 1a Pd. 2:9. O que Israel perdeu nós alcançamos. Viva como sacerdote! Se você conhece a Jesus, você é um sacerdote.

Santuário: O tabernáculo de Moisés. Propósito: Êx. 25:8 – trazer Deus à terra, permanentemente habitar entre os Seus filhos. O coração do santuário é a Arca da Aliança, e o seu coração são as tábuas da aliança. Cf. Êx. 25. A parte provisória desta aliança começa em Êxodo 32. É anulado todo o conteúdo a partir daí com a vinda de Jesus.
1) Lugar Santíssimo – o coração do santuário. A arca ficava nesse lugar e seus componentes todos lembram a Jesus (maná, vara e tábuas). Ao lado da arca tinha um livro da aliança. Nm.7:89. Propiciatório era a tampa da caixa. Dentro dela ficava a arca e dentro dessa as tábuas da aliança - Hebreus 1; Jo.1:1; 2a Sm.6:2 – O Nome é proclamado! O Nome acima dos Querubins, e a Palavra embaixo dos Querubins, na terra.
YHWH
YEHOSHUA HAMASHIACH – Dt.31:24-26 – Este lugar era
muito sagrado, ninguém tinha acesso a ele. Só o sumo sacerdote entrava uma vez por ano e intercaladas nas vestes uma romã e um sino para ouvir se ele ainda estava vivo. Deus não baixou Seus valores de santidade e justiça. Em Jesus elevamos nosso espírito. Lv.16; Hb.9.

2) Santo Lugar – separado por um véu do Santíssimo; Hb.9:1, 2, 6 (Leia o livro de Hebreus, aponta para o Reino espiritual).

3) Átrio – lavatório, lugares de purificação espiritual e derramamento de sangue.

Sacerdócio: levitas – Hb.10:1-11
Tudo isso faz parte da lei cerimonial, é transitório, aponta para Jesus – o culpado escapa porque um inocente toma o seu lugar. Não se podia jamais ter a presença de Deus fora do tabernáculo. Se o pecado não fosse coberto, Deus não estaria com eles. Luz e trevas não se misturam. Deus arrumou um meio pelo qual nós encontremos a luz. Jo.14:6 – O transitório desaparece e o espiritual permanece.

SELO:

Êx.31:12 – “Meus sábados”.
Existem sábados de Deus e sábados cerimoniais. Vv.13-15 – Visava exaltar a Deus. “Sábado de descanso solene”. Vv.16-18 – O sábado é tanto um sinal quanto uma aliança perpétua.
Deus lembrou a Israel da criação. Gn.2:2, 3. O sétimo dia é um memorial da criação. Note: isso precede a queda da lei. A transgressão é do cap.32; Cl.2:14-17 – Na Bíblia não há contradição. O sábado é um memorial da criação exaltando a Deus e sombra do espiritual, é um memorial do que passou.
Os.2:11 – “Seus sábados”. – Is.1:13 – se o selo não é a evidência de uma atitude interior, não tem valor diante de Deus. Época do cativeiro: Ez.20:20.
Lv.23:3 – Sábado do Senhor, Memorial do passado.
Lv.23:24 – Dia das Trombetas (Shophar), Páscoa, etc, são sombras do que há de vir. O dia da expiação é chamado de “O Sábado dos sábados” pelos judeus, apesar de cair em outro dia da semana. Os sábados do Senhor, Deus não abomina, mas sim os sábados deles. Lv.23:38, 39.
Sábado (Shabbath) = descanso
Tudo aponta para Jesus. Para os judeus, trabalho é criar alguma coisa, então não se podia fazer no sábado. O problema, para Jesus, eram pequenas regras. Mc.2:27. O sábado vem para beneficiar o homem, e não para farda-lo. V.28: “enquanto você descansa, Eu trabalho”.
Sempre apontará para um sétimo! É profético. O primeiro dia profético é de Adão. Do 2o ao 6o já passaram. Nós estamos no sétimo dia! Nada altera a Palavra de Deus. O sétimo dia é apenas uma mensagem.
O sétimo dia aponta para o repouso milenar na vida eterna. Se alguém decretou mudança não foi a Bíblia nem o Espírito Santo. Saia de Roma e volte para Jerusalém. Cada um caminha de acordo com a luz que tem. Satanás trouxe várias coisas erradas com o tempo: batismo de crianças, celibato sacerdotal, no 1o dia descansar, etc. Precisamos seguir o caminho de Deus!
O sétimo dia precisa ser reconhecido como um sinal profético. Que cada um ande segundo a luz que Deus dá sem julgar os outros e sem criar sistemas em cima da letra.
Jesus foi o único que não falhou no cumprimento dos 10 mandamentos! Rm.8:1-4 – A justiça que a lei e as obras não me dão, Cristo Jesus me dá. A minha confiança não está no que eu faço, mas no que Ele faz. O justo viverá pela fé, e a fé produz obras. Se eu creio, eu faço. Como é que se sabe que Abraão creu? Porque ele obedeceu!
Hb.4:12 - Rompa com todas as estruturas de raciocínio, hábito, cerimônias, que vão contra preceitos da aliança. A Bíblia quer dizer o que ela diz. A Bíblia não é um livro contraditório, é só não tentar interpretá-la. A salvação está em YEHOSHUA!

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.